Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Caderno B

O GRITO DO CARNAVAL DE MACEIÓ

Jaraguá Folia terá mais de 100 blocos, além de festas nas ruas e no pós-evento; mais de 50 mil pessoas devem circular pelo bairro histórico nesta sexta-feira (14)

Por MAYLSON HONORATO COM ASSESSORIAS | Edição do dia 14/02/2020

Matéria atualizada em 14/02/2020 às 00h02

Foto: Felipe Brasil
Foto: Felipe Brasil - Foto: Felipe Brasil
 

Um dos episódios mais marcantes do calendário cultural da capital alagoana, o Jaraguá Folia deve reunir milhares de foliões na noite desta sexta-feira (14). O bairro histórico receberá mais de 100 blocos carnavalescos, agremiações formadas por nerds, artistas, professores e até por amantes da sétima arte, como é o caso do “No Escurinho É Mais Gostoso”, um dos bloquinhos mais concorridos da folia. Nesta edição, o trajeto voltará a seguir o curso considerado tradicional pela prefeitura de Maceió. A concentração será na Praça Sinimbu e a saída em direção à Avenida da Paz, à beira-mar, seguindo para a Rua Sá e Albuquerque, uma das mais famosas do centro histórico, e finalizando na Praça Dois Leões. O público estimado pela Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac) é de 50 mil pessoas e o horário marcado para o início da folia é às 20h. Quando se fala em fantasia, os maceioenses não economizam na imaginação. Para Thiago dos Santos, que improvisou com amigos fantasias dos Power Rangers no ano passado, o Jaraguá Folia representa o momento de dar asas à imaginação, aos desejos e à autoexpressão.

“O No Escurinho É Mais Gostoso é justamente essa mistura de gente que realiza, que imagina e que gosta de viver sem medo. Eu curto demais o bloco e vou todos os anos, sempre com uma fantasia inusitada. E ainda tem uma infinidade de possibilidades para se fantasiar, já que o bloco é relacionado ao cinema. Cada um vai com a narrativa que mais se identifica ou até com a que menos se identifica, já que muita gente vai para fazer críticas sociais. É um grande encontro de pensamentos também”, reflete o universitário. Este ano, o bloco “No Escurinho É Mais Gostoso” completa oito anos de carnaval e espera reunir 1.500 foliões. Para a organização, há quem vá no bloco somente para se divertir com a criatividade dos participantes. “O Escurinho tem, explicitamente, a influência do audiovisual. Cinema, séries, cultura pop em geral, são paixões do nosso público. O público é bastante peculiar. Há gente que sequer brinca carnaval, mas faz questão de se fantasiar e desfilar todos os anos”, conta Cleber Pereira, da organização do bloco. Ele também atribui o sucesso do bloco ao engajamento, já que a agremiação é comprometida com pautas sociais, como as lutas contra o racismo, machismo, lgbtfobia, transfobia, entre outras bandeiras. “Músicas com cunho machista, racista, homofóbico ou transfóbico são vetadas no nosso cortejo”, adianta. Para este ano, o mote do bloco é a luta da classe artística contra a censura às artes. “Dessa postura de diversidade e defesa das pautas sociais não abrimos mão”, diz o organizador. A concentração para o chamado de “bloco mais estiloso do Jaraguá Folia” será na porta do Lorde Nelson (Pub local), também às 20h. O pré-bloco será marcado pelo show de Wado e o Bloco dos Bairros Distantes, projeto carnavalesco do músico. Depois das 2h, horário limite para as festividades de rua no Jaraguá, o bloco retorna ao Lorde Nelson para shows com a cantora Naná Martins, Orquestra Cabelo de Fogo e DJ Magnum. Informações estão disponíveis no site www.lordenelson.com.br.


FAROFA NA RUA

Outro destaque das prévias ocorre pelo segundo ano, a festa “Farofa”, idealizada pela produtora Pixel. Trata-se de um evento aberto, gratuito e colaborativo, que visa ocupar espaços públicos de Maceió e ressignificar a relação com a cidade, criando um ambiente seguro de socialização para o público LGBTQ+ maceioense através da música e arte. Neste ano, nomes locais como David Andrade, Eleva, Perigou, Phellipe e Karoliny N animam o local com DJ sets que vai do pop/funk ao bregafunk e eletrônica. Sem apoio e patrocinadores, o evento independente conta exclusivamente com a colaboração da população por meio de um financiamento coletivo a partir de $5 reais para custear as despesas como som e segurança. Todos os custos serão abertos aos apoiadores através de um orçamento transparente. Em agradecimento, para contribuições maiores que $25 reais, a produção recompensará com brindes que vai de ingressos para outra festa que acontecerá no mesmo dia, além de posters e ecobags, disponíveis através do link bit.ly/FarofaPraTodas. “Nossa Farofa, em 2019, foi um acontecimento inédito na cidade que levou diversão e cultura para uma área pouco explorada pela população. Permitimos que centenas de pessoas ocupassem um lugar histórico e culturalmente importante para Maceió e criássemos, através da música, novos laços e memórias com aquele lugar. Somos resistência em tempos tão difíceis e, neste ano, queremos ocupar mais espaços e levar muito mais rostos felizes para rua”, comenta David Andrade, um dos produtores do evento.


Foto: Felipe Brasil
Foto: Felipe Brasil - Foto: Felipe Brasil
 

AFTER: VISH + SANTA

Paralelo ao festejo na Praça Bom Jesus dos Navegantes, no Jaraguá, os coletivos também realizam a festa pós Jaraguá Folia no Rex Jazz Bar. O evento acontece das 23 às 6h. O evento conta com Die Mombergs, FJSAN, Reynald, além dos residentes Phellipe e David Andrade no line-up. Os ingressos variam de $15 a $25 e podem ser adquiridos online em bit.ly/vishsanta.


FILHOS DA PAUTA

O bloco, cujo o nome sempre chamou atenção do público, ganha novamente as ruas e o carnaval de Maceió, a partir das 19h30. A concentração também será na Praça Sinimbu. O bloco, essencialmente composto por jornalistas e entusiastas da comunicação, completa 29 anos em 2020 e retorna ao Jaraguá Folia. À frente da organização está o Diretório Acadêmico Freitas Neto (DAFN), entidade que representa os estudantes de Jornalismo e Relações Públicas da Ufal. A expectativa é de um público de 700 pessoas para pular na folia com água e cerveja liberadas. Filhos da Pauta arrasta foliões desde 1991, consagrando-se no elenco tradicional de blocos da Liga Carnavalesca de Maceió. Já o tradicionalíssimo “Filhinhos da Mamãe”, com mais de trinta anos de carnaval, desde o ano passado faz seu cortejo uma semana antes do Jaraguá Folia e ocupará nesta sexta o Museu Théo Brandão, sua casa ao longo de todas as suas décadas de existência, com um baile regado a muito frevo e alegria, também às 20h. Entre os blocos que chamaram a atenção no ano passado e que prometem aquecer a folia desta sexta está um bloco sem nome, ou melhor, um bloco que muda de nome anualmente. Em 2019 eles eram “As Trepadeiras” e cada folião foi vestido com um espécie de planta. Sobraram “comigo ninguém pode” e carnívoras. Este ano, eles invadem as ruas e becos do Jaraguá como o bloco “ No Escuro da Tua Inveja A Minha Luz é Neon”, completando o time de blocos engajados e que pregam o respeito à diversidade. “A organização acontece no WhatsApp, com poucos dias de antecedência, daí a ‘comissão’ convida os amigos e propõe que os amigos convidem seus respectivos amigos e assim vai. Ano passado conheci amigos dos meus amigos que acabaram se tornando amigos também (risos). Hoje saímos juntos e tudo começou no pré-carnaval do Jaraguá”, conta Patrícia Mendonça, uma das foliãs. Para a universitária, o Jaraguá Folia é sua motivação para curtir o carnaval em Maceió. “Eu não gostava de carnaval, acho que ainda não gosto, mas posso afirmar que amo as prévias do Jaraguá. O clima é diferente, sinto que pertenço àquela festa e aquele lugar”.

Mais matérias desta edição