Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 5715
"Grande brincadeira séria"

SUCESSO NA BIENAL, MALOCA INSTAGRAMÁVEL É REVESTIDA POR 2 MIL REVISTAS

Espaço assinado pela arquiteta Mirna Porto homenageia os 15 anos do periódico da Imprensa Oficial

Por Da Redação com Assessoria | Edição do dia 15/08/2023

Matéria atualizada em 15/08/2023 às 15h04

 

Foto: FABIANA SANTOS
 

No marco dos seus 15 anos de existência, a Revista Graciliano, publicada pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos, é homenageada pela 10ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas, com o ambiente instagramável Terra, a Grande Maloca, assinado pela arquiteta Mirna Porto, no hall do Teatro Gustavo Leite, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, até o domingo (20). O espaço, construído em referência às habitações indígenas, é revestido por 2 mil exemplares do periódico, com mais de 30 edições, e já ganhou as graças do público, no maior evento cultural e literário alagoano.

Inspirada na canção A Grande Maloca, do Boi Garantido – associação folclórica que concorre, anualmente, ao Festival de Parintins, no Norte do Brasil –, Mirna Porto explica que o ambiente foi pensado a partir dos versos “Terra: a grande maloca que devemos cuidar, enquanto houver amanhã. Terra: a grande maloca, nossa mãe, nosso lar”, fruto da composição de Demetrius Haidos e Geandro Pantoja.

Ao todo, a estrutura possui 4 metros de altura, 6 metros de diâmetro e hastes de ferro em alusão aos meridianos, com piso todo espelhado, para dar profundidade e amplitude à experiência. O intuito é fazer o público mergulhar em um verdadeiro globo. “Nossa proposta é surpreender, encantar... Fazer uma grande brincadeira, mas uma brincadeira séria. A ideia é que o público, do lado de fora, identifique um iglu, uma maloca – que pode ser indígena ou africana. Ou seja, no lado externo, o público vê uma casa, um abrigo, algo que ‘segura’ as pessoas. Mas, ao entrar, o visitante vai estar dentro da Terra, para lembrar que a sua casa é este planeta”, destaca a arquiteta.

Mirna considera, ainda, que o trabalho resulta de um olhar criativo, para o qual é preciso estar atento. “Se eu enxergo, é possível. Pode não ser hoje, mas pode ser amanhã... Se passou na cabeça, é porque tem elo com algo possível. Ver isso caminhando desta forma é uma delícia”, salienta.


HOMENAGEM À REVISTA GRACILIANO


Além do espelhamento na parte interna, o grande diferencial da Maloca instagramável é o fato de ser totalmente revestida por 2 mil exemplares da Revista Graciliano, que, em 2023, celebra 15 anos de existência. Referência no mercado editorial, o periódico é o “queridinho” dos alagoanos e, nesta Bienal, retorna às prateleiras, após 4 anos sem publicação.

Com mais de 30 edições, as capas da Graciliano dão o tom à Maloca do maior evento literário de Alagoas, erguida pelos pilares do conhecimento. “Essa iniciativa nos permite homenagear o escritor Graciliano Ramos e a revista, que traz assuntos muito relevantes, desde o cinema até outras temáticas. A ideia é que as pessoas tirem fotos ao lado desse montante de revistas, com capas lindas e com conteúdos ainda mais”, explica Mirna Porto.

Isso porque a Revista Graciliano compreende uma coletânea de publicações que versam sobre Alagoas, nas mais diversas perspectivas, sempre a partir das contribuições de especialistas renomados. Entre os temas já abordados pelo periódico, encontram-se: Zumbi dos Palmares, Calabar, Arte Popular, Fotografia, Fauna, Djavan, Arte, Cangaço, Gastronomia, Futebol, Música, Cinema, Moda, Literatura e até Centenário da Quebra de Xangô de 1912.


SUSTENTABILIDADE


Nesta edição, a Bienal Internacional do Livro de Alagoas adota o tema Defender a vida, proteger o planeta e humanizar a sociedade. O mote também justifica o conceito da criação de Mirna Porto. “O projeto também engloba a sustentabilidade. Nós estamos trabalhando com revistas fabricadas há anos, que estavam guardadas e que, ao saírem daqui, terão uma utilidade. E permitir que isso ocorra por meio da literatura é ainda mais forte”, ressalta a arquiteta.

Para ela, a adoção das revistas como elementos para a construção dessa “grande casa” da Humanidade também possui um valor simbólico: um planeta que se sustenta no conhecimento. “A literatura é independente. Hoje, as pessoas vivem como se o mundo já tivesse Wi-Fi saindo do Sol, como se todos abrissem o celular e tivessem direito à internet, o que não é verdade. Ainda teremos muito tempo para trabalhar com os livros, que são sempre independentes”, avalia.


RETORNO DA REVISTA


Há três anos, a Graciliano estava fora do mercado, mas a pretensão da equipe é que ela volte a circular nas lojas, física e online, da Imprensa Oficial, em livrarias e bancas de revistas. A edição de nº 32 traz o título Terra de Marechais e fala sobre a participação de Alagoas no processo de Proclamação da República.

O conteúdo foi produzido por profissionais da área de Comunicação, contemplados via edital. Outros materiais selecionados no mesmo certame deverão também compor os próximos números do periódico.

Mais matérias desta edição