Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 4227
Criança e Adolescente

Furnas investirá R$ 500 mil em conselhos

Foto: Divulgação/Furnas  Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente de todo o país podem se inscrever no Edital de Seleção de Conselhos e Fundos dos Direitos das Crianças e do Adol

Por Luan Oliveira | Edição do dia 06/11/2019

Matéria atualizada em 07/11/2019 às 06h32

Foto: Divulgação/Furnas
 


Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente de todo o país podem se inscrever no Edital de Seleção de Conselhos e Fundos dos Direitos das Crianças e do Adolescente. A ação é iniciativa da Furnas e conta com R$ 500 mil reais que serão distribuídos para ações voltadas ao público jovem. As inscrições devem ser feitas on-line até 11 de novembro. O projeto conta com duas modalidades: uma na qual os recursos são aplicados à iniciativa, e outra que destina os fundos para os Conselhos, com o objetivo de melhorar sua estrutura. “Tivemos ótimos resultados em edições anteriores, um Conselho Municipal em São Paulo conseguiu melhorar sua estrutura e criar um sistema de proteção em rede de referência na proteção dos direitos dos jovens”, afirmou Claudia Tenório, assistente social da Furnas. “Já fizemos ações como essa em outros anos. Há o diferencial de que, em 2019, adotamos diversos mecanismos para garantir a boa aplicação desses recursos. Os valores a serem enviados irão depender de critérios pré-determinados que dizem respeito ao mérito do projeto e seu possível impacto na comunidade”, complementou. Um levantamento da Fundação Abrinq apontou que 22,6% das crianças e adolescentes entre 0 e 14 anos vivem em situação de extrema pobreza. A Furnas afirma ser esse dado que a levou a tomar a iniciativa, seguindo os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas. Para se inscrever na primeira modalidade, os Conselhos devem enviar um Plano de Trabalho detalhado de sua ação. Serão analisados fatores como a capacitação da equipe e a comunicação externa da instituição. No segundo caso, o Conselho interessado deve especificar onde o fundo será aplicado (capacitação de pessoal, infraestrutura, mapeamentos e outros investimentos). Procurada, Thais Mendes Cavalcante, empossada ontem como presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Maceió, afirmou desconhecer o edital e que não seria possível buscar por aportes devido aos compromissos da transição.

Mais matérias desta edição