Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Cidades

PRÉVIAS MOVIMENTAM SETORES DE BEBIDAS E VESTUÁRIO

Muita gente aproveita o período carnavalesco para garantir uma renda extra

Por william makaisy | Edição do dia 14/02/2020

Matéria atualizada em 13/02/2020 às 23h20

Maceió, 30 de janeiro de 2016
Pinto da Madrugada arrastou milhares de foliões. Segundo a organização, a estimativa é que mais de 200 mil pessoas passaram pela orla de Pajuçara e Ponta Verde, em Maceió. Alagoas - Brasil. 
Foto: Ailton Cruz
Maceió, 30 de janeiro de 2016 Pinto da Madrugada arrastou milhares de foliões. Segundo a organização, a estimativa é que mais de 200 mil pessoas passaram pela orla de Pajuçara e Ponta Verde, em Maceió. Alagoas - Brasil. Foto: Ailton Cruz | Ailton Cruz

As prévias carnavalescas finalmente chegaram. Nesta sexta-feira (14), acontece a tradicional festa do Jaraguá Folia, onde diversos blocos carnavalescos percorrem a Rua Sá e Albuquerque. Já no sábado (15), acontecerá o famoso bloco do Pinto da Madrugada, desfilando pela Orla da Ponta verde pela 21º vez. Com tanta folia prevista na capital se engana quem pensa que a única preocupação do alagoano é o divertimento. Essa é a época em que muitos acabam usando da oportunidade para conseguir uma renda extra com trabalhos voltados para as festividade, sejam eles a venda de bebidas ou a confecção dos ‘queridinhos’ dos foliões, os abadás. Seja na confecção de abadás ou na venda de bebidas por ambulantes, muitos usam a aproximação da data para garantir o lucro, como conta um dos conferentes de um depósito de bebidas que trabalha alugando carrinhos. “Existe uma demanda de trabalho no carnaval, ele não é somente para folia, como alguns acham. Nós já estamos trabalhando com esse aluguel de carrinhos que gelam bebidas há alguns anos, porque existe uma procura. Essa demanda pelos carrinhos é tanto por comodidade de poder levar sua bebida para onde quiser sem que descongele quanto para aqueles que querem lucrar vendendo durante a folia”, Marcondes de Oliveira. A procura pelos carrinhos é tamanha que segundo um dos conferentes do depósito de bebidas as produções dos blocos carnavalesco estão fazendo pedidos. “A demanda não é somente do folião, é das produções também. Muitos blocos compram para o camarote e para o artista que vai se apresentar. Nós achamos nessa época do ano uma forma de lucrar. Temos inclusive demanda para o Pinto da Madrugada, que desfila neste sábado (15) na Orla da Ponta Verde”, disse o conferente do depósito. Já no vestuário, o que todos concordam que não pode faltar no carnaval são os abadás, produto que faz a cabeça dos alagoanos. Em uma loja da capital a procura foi tanta que tiveram que ser contratadas novas costureiras. “Começamos a trabalhar com o carnaval desde o ano passado e realmente tem uma procura. Trabalhamos aqui na confecção de abadás. O cliente vem, passar por uma consultoria onde ele diz o que procura e nós fazemos. A demanda esse ano foi tão grande que tivemos que contratar novas costureiras para conseguir dar conta”, disse o gerente de uma loja de moda. “Baseado no que vimos esse ano e o ano anterior nós pretendemos continuar trabalhando sempre com o carnaval, porque vimos que existe uma procura. E realmente nos surpreendemos, tanto que foi necessária a contratação de mais funcionários para dar conta da produção dos abadás para as prévias carnavalescas daqui da capital”, disse José Ilton.

* Sob supervisão da editoria de Cidades.

Mais matérias desta edição