Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Cidades

DEIC VAI INVESTIGAR CASO ENVOLVENDO INFLUENCER

A Polícia Civil (PC) vai investigar o caso do paciente oncológico e influencer Gui Pagnoncelli. A investigação foi iniciada depois que uma doadora digital registrou um Boletim de Ocorrências (B.O.). De acordo com as informações da assessoria de comunicaçã

Por Clariza Santos | Edição do dia 31/07/2020

Matéria atualizada em 30/07/2020 às 22h36

| Reprodução Instagram

A Polícia Civil (PC) vai investigar o caso do paciente oncológico e influencer Gui Pagnoncelli. A investigação foi iniciada depois que uma doadora digital registrou um Boletim de Ocorrências (B.O.). De acordo com as informações da assessoria de comunicação da PC, o inquérito ficará a cargo da Divisão Especial de Investigação e Capturas (DEIC). “Em razão da sensibilidade do caso, as investigações ocorrerão sob sigilo, e sem prévio juízo de valor antes do esclarecimento total dos fatos”, diz nota da Polícia Civil.

O CASO

Nos últimos dias, perfis nas redes sociais começaram a apresentar denúncias de fraude nas redes sociais. O influenciador digital Gui Pagnoncelli chegou a falar, com exclusividade, à Gazetaweb, na terça-feira (28), quando disse que se considera vítima de “linchamento virtual”. Os relatos que se espalharam nas redes sociais insinuam que Pagnoncelli utiliza os recursos arrecadados, através de doações, para despesas de ordem pessoal. Porém, no Boletim de Ocorrência, ele narrou que “o valor arrecadado na campanha seria utilizado para um procedimento cirúrgico pretendido nos EUA, porém, devido à evolução da doença, e, como todo tratamento oncológico é de um valor exorbitante, utilizou-se do valor arrecadado para dar continuidade ao seu tratamento.” De acordo com Gui Pagnoncelli, o valor arrecadado, desde 2017, é de cerca de R$ 350 mil. Ainda segundo o influenciador, atualmente, não há campanha de arrecadação ativa, mas ainda recebe ajuda de contribuintes fixos. O jovem contou que já pediu ao advogado, que, junto a um contador, providenciasse uma prestação de contas. Gui chegou a encaminhar à reportagem cópias dos Boletins de Ocorrência (B.O.) que fez junto à Polícia Civil de Alagoas (PC/AL) contra os perfis que publicaram as acusações. Pagnoncelli afirmou que acredita ser alvo de um grupo organizado, que busca manchar a imagem dele. “As pessoas chegam a duvidar da doença, só porque me veem com brilho nos olhos e um sorriso bonito”, contou.

DIAGNÓSTICO

Em 2012, o jovem foi diagnosticado como portador de um câncer raro: um tumor maligno e agressivo conhecido como adenocarcinoma, localizado no estômago. Ele relatou que, atualmente, está internado em um leito clínico em razão da baixa imunidade.

Mais matérias desta edição