Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Cidades

18 FAMÍLIAS TIVERAM DE SER RELOCADAS

.

Por thiago gomes | Edição do dia 13/04/2021

Matéria atualizada em 13/04/2021 às 03h36

| Cortesia

Dezoito famílias que viviam em áreas de encostas, em Maceió, precisaram sair de casa nesse domingo (11), segundo informações da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), por causa do risco de incidentes provocados pelas chuvas. Elas foram acolhidas, levadas ao Centro de Atendimento Socioassistencial (CASA) e, em seguida, para abrigos escolhidos pela prefeitura ou para casa de parentes. De acordo com o órgão municipal, será oferecido o benefício do aluguel social àquelas pessoas que se enquadram no perfil econômico e que não tenham para onde ir. A concessão será disponibilizada mediante cadastro a ser agilizado pela secretaria. De acordo com a diretora de Proteção Social Especial da Semas, Tatiana Bóia, antes de irem para a unidade de acolhimento, os integrantes das famílias desalojadas são testados para a Covid-19. Após o exame negativado, segue o protocolo de encaminhamento para o abrigo. A coordenação da Defesa Civil Municipal informou que, no fim de semana, foram demandadas 145 ocorrências, sendo 112 recebidas por meio de ligações feitas ao telefone 199 e as demais como resultado de vistorias de campo. Deste total, 73 atendimentos foram concluídos e 72 ainda estão em andamento. Ainda conforme a Defesa Civil, entre sábado e a madrugada desta segunda-feira (12), foram 25 chamados para deslizamentos e 37 ocorrências envolvendo alagamentos e inundações.

A equipe de monitoramento da Meteorologia da Sala de Alerta da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) informou que, no fim de semana, choveu 260 milímetros em bairros da parte alta de Maceió, a exemplo do Tabuleiro do Martins. O acumulado é superior à média prevista para todo o mês de abril, que era 207 mm.

A previsão é de que a chuva dê uma trégua temporária e volte a castigar a cidade na próxima quarta-feira (14). Isto ocorrerá, segundo explica o meteorologista Henrique Mendonça, pela instabilidade do tempo gerada por dois fatores climáticos atípicos, além deste ser o início da quadra chuvosa. O temporal dos últimos dias alagou ruas inteiras, e a água invadiu casas em diversos bairros da parte alta, além de provocar inúmeros transtornos no trânsito, ao longo de todo o fim de semana. O grande volume de chuvas também levou toneladas de lixo à Praia da Avenida pelo Riacho Salgadinho. A prefeitura informou que retirou 200 toneladas de entulhos somente nesse domingo (11).

Mais matérias desta edição