Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 5735
Cidades

EM NOVE MESES, MACEIÓ REGISTRA 90 CASOS DE ESQUISTOSSOMOSE

Saúde dispõe de equipe específica para atuar em programa que visa conscientizar a população e realizar trabalhos preventivos

Por greyce bernardino | Edição do dia 07/10/2023

Matéria atualizada em 07/10/2023 às 04h15

Maceió registrou 90 casos de esquistossomose de janeiro a setembro deste ano, conforme dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Em todo o ano passado, foram 131 pessoas diagnosticadas com a doença. 

A esquistossomose mansoni é uma infecção adquirida quando as pessoas entram em contato com água doce infectada. Caramujos do gênero Biomphalaria são os hospedeiros intermediários do Schistosoma mansoni. Esses moluscos vivem em água doce de córregos, riachos, valas e açudes onde há pouca correnteza e bastante quantidade de matéria orgânica. 

Transmitida ao homem, a doença inicialmente assintomática pode evoluir para formas clínicas extremamente graves e levar o paciente a óbito. Em Maceió, a SMS  dispõe de uma equipe específica para o Programa de Esquistossomose, para conscientizar a população e para trabalhos preventivos. 

“O programa é dividido na parte humana (exames e tratamento) e parte vetorial (controle do caramujo).  A busca ativa do caramujo é feita com base nas informações que são obtidas após os exames de fezes nas pessoas de determinada localidade”, informou a secretaria em nota. 

Caso haja positividade para esquistossomose, a equipe mapeia o local em busca de rios, riachos, valetas, etc, que possam ter as condições ambientais necessárias para a sobrevivência do caramujo transmissor da doença. 

“Se houver a coleta do caramujo, o local é georreferenciado com GPS e os espécimes encaminhados para o laboratório de Entomologia Médica da UVZ.  Lá eles são analisados para detectar se estão infectados com a forma larvária do verme Schistosoma mansoni e é iniciado o tratamento para a pessoa infectada com o medicamento adequado fornecido pela Unidade de Vigilância em Zoonoses”, finalizou a SMS. 

Para prevenir a doença, é preciso evitar tomar banho em coleções de águas doces, como rios, lagos, açudes, valas e canais de irrigação em áreas onde há transmissão da esquistossomose. Os moluscos são hospedeiros de parasitas do homem e dos animais domésticos. 

No Brasil, as principais doenças relacionadas aos moluscos são a esquistossomose, a fasciolose e a angiostrongilose abdominal. Existem outros moluscos que podem acidentalmente injetar veneno, causando a morte de seres humanos (normalmente, catadores de conchas). 

Outras espécies podem causar intoxicação alimentar e transmitir a cólera. Ostras e outros moluscos são os principais alimentos responsáveis pela transmissão da febre tifoide.

Mais matérias desta edição