Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 5653
Cidades

OPERAÇÃO COORDENADA PELA SSP-AL VOLTA ÀS RUAS PARA CUMPRIR 25 MANDADOS

Desde quinta-feira foram presas mais de 50 pessoas; grupos criminosos atuavam com tráfico e lavagem

Por | Edição do dia 03/02/2024

Matéria atualizada em 03/02/2024 às 04h00

A A operação coordenada pela Secretaria da Segurança Pública de Alagoas em 17 estados, batizada de Operação Hades, cumpriu, nessa sexta-feira (2), mais 25 mandados de prisão que estavam em aberto. No total, 54 pessoas foram presas, mas 79 mandados de prisão foram expedidos. Já os mandados de busca e apreensão foram todos cumpridos na quinta-feira (1).

Os presos são suspeitos de envolvimento com duas organizações criminosas que atuavam principalmente com o tráfico de entorpecentes e lavagem de dinheiro. Até o fechamento desta edição, nenhuma outra prisão havia sido feita durante os cumprimentos de mandados.

De acordo com os dados apresentados pela SSP, as investigações começaram em março de 2021 e identificaram movimentações financeiras de mais de R$ 300 milhões em contas bancárias.

Foram identificados fornecedores de drogas que abasteciam o mercado alagoano com entorpecentes provenientes do Mato Grosso do Sul, estado que faz fronteira com Paraguai e Bolívia, que são grandes produtores de drogas.

Além de Alagoas, a operação foi deflagrada simultaneamente nos estados no Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Santa Catarina e São Paulo.

O secretário da Segurança Pública de Alagoas, Flávio Saraiva, destacou a grandiosidade e importância da operação em um contexto nacional, já que combate organizações criminosas e crimes correlatos, como é o caso dos crimes financeiros constatados nesta operação.

Saraiva parabenizou, ainda, o apoio das polícias Civis e Militares dos estados que integraram a ação e da Diretoria de Operações Integradas e de Inteligência (Diopi), da Secretaria Nacional de Segurança Pública, integrante do Ministério da Justiça e Segurança Pública (Senasp/MJSP).

Este suporte foi proporcionado por meio do Projeto I.M.P.U.L.S.E., que faz parte do Programa Nacional de Enfrentamento às Organizações Criminosas (ENFOC/MJSP), um programa fundamental para fortalecer as ações de combate ao crime no país.

O projeto busca fortalecer as ações de combate e desmantelamento de organizações criminosas, promovendo a integração entre as polícias em âmbito nacional.

“O objetivo da Secretaria de Segurança Pública de Alagoas é descapitalizar as organizações criminosas, e esse é o foco desta nossa operação histórica. Aproveito para parabenizar a todas as forças policiais alagoanas e todas as unidades policiais dos estados envolvidos pela capacidade técnica empregada nesta grande ação”, afirmou.

INVESTIGAÇÕES

As investigações revelaram que dois casais, um de Alagoas e outro do Pará, lideravam o tráfico de drogas no estado nordestino, com ramificações nos outros estados.

Também foram identificados criminosos fornecedores dos entorpecentes. Com residência em São Paulo, eles recebiam os ilícitos do Mato Grosso do Sul, estado fronteiriço com Paraguai e Bolívia. A segunda organização criminosa era abastecida por traficantes do Amazonas e tinha como líder um homem do Pará.

Ambas, apesar de operarem de forma independente, têm associação com facções criminosas nacionais e operam um complexo esquema de lavagem de dinheiro, envolvendo empresas de diversos segmentos e uso de contas bancárias de terceiros e laranjas, utilizadas para movimentar ilegalmente grandes somas de dinheiro.

Mais matérias desta edição