Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Desemprego

TEÓFILO ACUSA RENAN FILHO DE OMISSÃO NA SAÍDA DA COCA-COLA

Prefeito de Arapiraca lamenta fechamento da fábrica e diz que município do Agreste perderá muito em termo de arrecadação

Por Marcos Rodrigues | Edição do dia 08/02/2020

Matéria atualizada em 11/02/2020 às 10h31

A omissão do governo Renan Filho (MDB) pode condenar a cidade de Arapiraca a perder arrecadação de impostos. Quem afirma é o prefeito Rogério Teófilo (PSDB) ao denunciar o silêncio oficial sobre o fechamento da fábrica da Coca-Cola, anunciado na quinta-feira, 6, em caráter unilateral, sem nenhum comunicado ou reunião prévia. Ele responsabilizou o Executivo Estadual, inclusive o seu conterrâneo e adversário político – o vice-governador em exercício, Luciano Barbosa (MDB) – por não agirem para evitar a perda de receita e atrapalhar o desenvolvimento industrial do município. "O silêncio do Estado é porque ele não perde nada em termos de arrecadação, mas Arapiraca perde muito porque não teremos mais a arrecadação de impostos pela produção na cidade. Até onde sei o Estado não moveu uma palha, seja por meio do governador Renan Filho (que ainda está em férias), nem por meio do vice, que está no exercício do cargo e é daqui", desabafou Teófilo falando de forma acelerada e demonstrado preocupação com o futuro. A fábrica da Coca-Cola a é segunda mais antiga da cidade, juntamente com o Grupo Coringa. E a primeira da marca instalada em Alagoas, antes mesmo da unidade Maceió. Por isso mesmo, de acordo com Teófilo, seria natural que qualquer reivindicação feita a Prefeitura teria plenas condições para ser implementada para evitar essa decisão. Segundo Teófilo, o comunicado da saída foi feito a Zélia Azevedo, titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, sem chances de nenhum tipo de diálogo sobre as razões que poderiam estar influenciando a iniciativa. Agora, com o fechamento da fábrica, a cidade irá concentrar apenas um Centro de Distribuição e Comercial, uma espécie de grande depósito com uma logística operacional para garantir o armazenamento e a distribuição."Essa decisão que nos pegou de surpresa vai totalmente de encontro a proposta do governo de interiorização da indústria”.

Mais matérias desta edição