Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Levantamento

PREÇO DE PRODUTOS CARNAVALESCOS TEM VARIAÇÃO DE ATÉ 1.210%

Pesquisa feita pelo Procon Maceió mostra disparidade de valores de itens como fantasias, óculos de plástico, saia havaiana e buzina

Por Carlos Nealdo | Edição do dia 13/02/2020

Matéria atualizada em 12/02/2020 às 19h47

Procon orienta aos consumidores pesquisar antes de comprar produtos carnavalescos
Procon orienta aos consumidores pesquisar antes de comprar produtos carnavalescos | Ailton Cruz

Os preços dos produtos carnavalescos comercializados em Maceió estão com variação de até 1.210,5% para o mesmo item, segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 12, pelo órgão de defesa do consumidor da capital (Procon Maceió). O levantamento, feito em cinco estabelecimentos, analisou o valor de 93 produtos, como máscaras, fantasias e buzinas. De acordo com a pesquisa, o preço de óculos de plástico, por exemplo, tem variação entre R$ 1,90 e R$ 24,90 - a maior disparidade entre os produtos analisados. A máscara plástica aparece em segundo lugar no ranking, com uma variação entre R$ 1,99 e R$ 12,50 - uma disparidade de 528,1%. Em terceiro lugar aparece fantasia de índio para adulto, com preços que variam entre R$ 45 e R$ 279,90 - uma diferença de 522%. A disparidade segue entre produtos como buzina da alegria (499,5%), fantasia de ladrão para adulto (457%), saia havaiana (279,3%), cartola (277,3%), fantasia de bruxa para adulto (217,9%), fantasia de bruxa infantil (153,2%). A pesquisa divulgada nesta quarta-feira é a segunda feita este ano. Em janeiro, o Procon já havia realizado um levantamento de itens para o carnaval. Segundo o órgão, não houve grandes alterações nos preços. “Poucos produtos sofreram aumento ou tiveram queda significativa, a exemplo dos acessórios carnavalescos, como as máscaras plásticas, que em janeiro variavam entre R$ 1,20 e R$27,20, e em fevereiro entre R$1,99 a R$27,20, dependendo dos estabelecimentos e marcas”, informou o Procon, por meio de assessoria. O órgão constatou, no entanto, que algumas lojas apresentam o mesmo valor que constava em janeiro, mas anunciam que o produto está em promoção. "O Procon Maceió alerta para que os consumidores fiquem atentos a variação dos preços do mesmo produto em diferentes lojas visitadas e orienta a população a realizar pesquisa de preços antes de efetuar as compras carnavalescas", recomenda. Este ano, o carnaval deverá movimentar R$ 8 bilhões, um aumento real de 1% em relação ao ano passado, segundo pesquisa divulgada no início deste mês, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Segundo a CNC, a recuperação gradual da atividade econômica, combinada à inflação baixa, sugere um cenário positivo, com recuperação moderada dos serviços turísticos. Os segmentos especializados em alimentação fora do domicílio, como bares e restaurantes (R$ 4,8 bilhões), as empresas de transporte de passageiros rodoviário, aéreo e de locação de veículos rodoviários (R$ 1,3 bilhão) e os serviços de hospedagem em hotéis e pousadas (R$ 861,3 milhões) responderão por mais de 88% de toda a receita gerada com a data.

Mais matérias desta edição