Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Transporte

PANDEMIA FAZ FLUXO NO AEROPORTO DE ALAGOAS RECUAR 46,1% EM 2020

No ano passado, 1,129 milhão de passageiros passou pelo aeroporto alagoano, aponta a Anac

Por Carlos Nealdo | Edição do dia 22/01/2021

Matéria atualizada em 21/01/2021 às 20h07

Pandemia reduziu número de voos no País e provocou queda no número de passageiros
Pandemia reduziu número de voos no País e provocou queda no número de passageiros | @Ailton Cruz

O número de passageiros que passaram pelo Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares recuou 46,1% em 2020, na comparação com o ano anterior, segundo levantamento divulgado nesta quinta-feira (21), pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). De acordo com os dados, no ano passado passou pelo aeroporto alagoano 1,129 milhão de passageiros - entre embarque e desembarque - contra 2,096 milhões registrados em 2019. Os números foram influenciados pela pandemia de Covid-19, que obrigou os governos a adotarem restrições e medidas de isolamento que acabaram reduzindo as viagens aéreas no País. Levando-se em conta apenas o período de isolamento social, o fluxo de passageiros no Zumbi dos Palmares despencou 62,2%, saindo de 1,495 milhão de pessoas em 2019, para 564,6 mil no ano passado. Nesse período, maio foi o mês que registrou o menor fluxo no ano passado, com 6.835, um tombo de 95,1% em relação ao mesmo mês de 2019, quando passaram pelo Zumbi dos Palmares 140,6 mil passageiros. Em maio, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a Anac implementaram medidas relacionadas às empresas aéreas e aos aeroportos. Além do permanente uso de máscaras por passageiros e funcionários, do distanciamento de dois metros entre pessoas e da higienização de terminais e aeronaves, são indicadas a utilização de EPI (Equipamentos de Proteção Individual) por trabalhadores, conforme a situação; o incentivo a campanhas de comunicação e a divulgação de avisos sonoros, entre outras ações.

PAÍS

Em todo o País, o número de passageiros transportados em voos domésticos no ano passado caiu 52,5% em relação a 2019. De acordo com os dados da Anac, no ano passado as empresas aéreas brasileiras transportaram um total de 45,1 milhões de passageiros em voos dentro do País, contra 95,1 milhões registrados no ano anterior. Apesar da redução do número de viagens aéreas no País, os números da Anac mostram uma recuperação no setor a partir do segundo semestre de 2020. Em dezembro, o mercado aéreo registrou seu melhor resultado desde o início da pandemia. A retração no mercado aéreo doméstico começou a ser vista a partir de março, quando medidas de isolamento social mais restritivas passaram a ser adotadas no país. Em abril, o setor registrou o seu pior resultado mensal no ano passado, quando a queda na demanda por voos foi de 93,1% em relação ao mesmo mês de 2019. Diante do cancelamento em massa de voos, o governo editou uma medida provisória que prevê o reembolso integral do valor gasto em passagens aéreas durante a pandemia. O governo também deu início a uma negociação para socorro financeiro bilionário às empresas aéreas brasileiras. O auxílio, que viria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), entretanto, nunca saiu do papel. O transporte internacional de passageiros registrou uma queda ainda maior no ano passado. De acordo com a Anac, as empresas aéreas brasileiras transportaram 6,75 milhões de passageiros para fora do país, número 72% menor que o verificado em 2019.

RECUPERAÇÃO

Os números divulgados pela Anac também revelam uma recuperação do mercado aéreo a partir do segundo semestre, apesar de ainda estarem abaixo do verificado antes da pandemia. De acordo com a agência, a demanda por voos em dezembro foi 29,5% menor que a registrada no mesmo mês de 2019 e, a oferta de assentos, 27,6% menor. Apesar de negativos, os resultados de dezembro são os melhores do setor aéreo desde o início dos efeitos da pandemia. As informações são do G1.


FLUXO DE PASSAGEIROS NO ZUMBI DOS PALMARES EM 2020 (EMBARQUE E DESEMBARQUE)

Janeiro - 257.874 Fevereiro - 186.128 Março - 120.844 Abril - 8.623 Maio - 6.835 Junho - 10.626 Julho - 25.956 Agosto - 42.101 Setembro - 65.118 Outubro - 100.297 Novembro - 134.581 Dezembro - 170.477

Fonte: Anac

Mais matérias desta edição