Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Benefício

BOLSA FAMÍLIA ATENDE MAIS DE 184 MIL FAMÍLIAS EM MACEIÓ

.

Por rayssa cavalcante | Edição do dia 18/09/2021

Matéria atualizada em 17/09/2021 às 19h45

A capital alagoana tem 184.016 pessoas atendidas pelo programa Bolsa Família, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (17), pela Prefeitura de Maceió. Um novo calendário de pagamento para beneficiários que possuem o Número de Identificação Social (NIS) terminado em 1 também foi divulgado. O Bolsa Família é um programa do Governo Federal, com transferência de renda para famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza no Brasil, visando a extinção de famílias em situação de vulnerabilidade e pobreza. Com a chegada da pandemia de Covid-19, em 2020, os números mostram que situação de pessoas em extrema pobreza - pessoa que vive com renda per capita de até R$ 89 - não melhorou. Conforme dados do Ministério da Cidadania, o período pandêmico empurrou 38.635 alagoanos para a pobreza extrema, fechando o primeiro semestre de 2021 com 1.190.647 pessoas nesta situação. Em março de 2020, quando a pandemia começou, o total de pessoas nesta situação era 1.152.012, o que significa um aumento de 3,3%. Em Maceió, 138.678 pessoas estão em extrema pobreza, correspondendo a maior quantidade entre os municípios de Alagoas. Arapiraca aparece com 57.070 e Palmeira dos Índios completa o ranking com 32.548 pessoas.

NOVO CALENDÁRIO

A Prefeitura de Maceió divulgou que o pagamento do Programa Bolsa Família para os beneficiários que possuem o Número de Identificação Social (NIS) terminado em 1 foi iniciado nesta sexta (17). Para saber em que dia sacar o benefício, a família deve observar qual é o último algarismo do NIS que está impresso no cartão. Aquelas que têm cartões terminados em 1 recebem no primeiro dia do calendário de pagamento e assim por diante. O calendário do mês de setembro segue até o dia 30. O benefício fica disponível para saque por 90 dias a partir da data prevista no calendário.

AUXÍLIO BRASIL

Nesta sexta-feira, o secretário especial do Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, Bruno Funchal, afirmou que o Auxílio Brasil, novo programa social que vai substituir o auxílio emergencial e o Bolsa Família, será de R$ 300. Isso representa um aumento de R$ 111 em relação ao valor médio pago atualmente pelo Bolsa Família. Ele afirmou que o Auxílio Brasil vai entrar em vigor em novembro porque esse tipo de programa não pode ser implantado em ano eleitoral. Funchal acrescentou que, para poder financiar os pagamentos deste ano, o governo assinou na quinta-feira um decreto que eleva a alíquota do IOF (Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários). Especialistas ouvidos pela reportagem afirmam que a medida encarece o crédito e as dívidas de famílias e empresas.

Mais matérias desta edição