Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Economia

PEDIDOS DE SEGURO-DESEMPREGO CRESCEM 30% EM ALAGOAS

Os pedidos de seguro-desemprego aumentaram 30% em Alagoas no primeiro quadrimestre de 2022, em relação ao mesmo período de 2021, de acordo com dados do Ministério do Trabalho. As solicitações saltaram de 20.090 em 2021, para 26.137 este ano. O pagamento d

Por Hebert Borges | Edição do dia 28/05/2022

Matéria atualizada em 27/05/2022 às 21h29

Os pedidos de seguro-desemprego aumentaram 30% em Alagoas no primeiro quadrimestre de 2022, em relação ao mesmo período de 2021, de acordo com dados do Ministério do Trabalho. As solicitações saltaram de 20.090 em 2021, para 26.137 este ano. O pagamento do seguro injetou R$ 123,4 milhões na economia do estado.

Os dados mostram que a maioria dos requerentes (74,8%) são homens, um total de 19.576. As mulheres foram 6.561, o que representa 25,1%. Quando o assunto é faixa etária, o maior número de requerentes têm idade entre 30 a 39 anos, com 9.075 pedidos.

A maioria dos requerentes em Alagoas possui o ensino médio completo e são do setor de Serviços. A faixa salarial predominante entre esses requerentes é de um salário mínimo a um salário mínimo e meio. Já entre as pessoas que ganham mais de 10 salários mínimos, apenas 17 solicitaram seguro-desemprego.

Em termos de valores, foram pagas 86.562 parcelas do seguro aos alagoanos nesses quatro meses de 2022, que, ao todo, somaram, R$ 123,4 milhões de reais. O valor médio das parcelas pagas aos alagoanos é de R$ 1.426,54.

Desde o dia 11 de janeiro deste ano, o trabalhador demitido sem justa causa está recebendo um valor maior de seguro-desemprego. A tabela das faixas salariais usadas para calcular o valor da parcela foi reajustada em 10,16%. Com a correção, o valor máximo do seguro-desemprego subiu de R$ 1.911,84 para R$ 2.106,08, diferença de R$ 194,24.

Mais matérias desta edição