Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Esportes

Novo técnico, Adilson Batista mira estilo de jogo na Raposa

Treinador do Cruzeiro foi contratado até o fim de 2020

Por GLOBOESPORTE.COM | Edição do dia 30/11/2019

Matéria atualizada em 29/11/2019 às 18h58

Adilson Batista foi contratado até o fim de 2020: ‘Tem que jogar igual na Premier League’
Adilson Batista foi contratado até o fim de 2020: ‘Tem que jogar igual na Premier League’ | Vinnicius Silva/Cruzeiro

Pela terceira vez nesta temporada, o Cruzeiro apresentou um treinador na sala de imprensa da Toca da Raposa. Coube ao gestor de futebol Zezé Perrella e ao presidente Wagner Pires de Sá dar as boas-vindas a um velho conhecido: Adilson Batista, que foi contratado para o lugar de Abel Braga, após a derrota para o CSA, quinta-feira (29), por 1 a 0, em pleno Mineirão.

Ele terá a missão de, em menos de dez dias, livrar o time do inédito rebaixamento. Segundo Perrella, o treinador seguirá no clube no ano que vem, independentemente do destino da Raposa. O contrato de Adilson vai até dezembro de 2020.

Vice-campeão da Libertadores com o Cruzeiro, em 2009, Adilson teve o primeiro contato com os comandados no início da tarde, antes de ir à sala de imprensa. Ele demonstrou confiança no elenco, que tem sido muito cobrado pelos torcedores ao longo do ano, mas afirmou: é preciso ter atitude.

“Já tive uma conversa. Já transpirei ali com eles. Já coloquei algumas coisas que eu acho que precisamos fazer. Ouvi. Escutar é importante neste momento. Mas nós precisamos ter atitude. Não adianta você falar e não fazer. Está aqui um treinador que, apesar dos 51 anos, já tem uma experiência para cobrar. E temos que cobrar. E é com eles. Só agradecer. São 24 horas de dedicação ao Cruzeiro”, disse.

Questionado sobre o que vai precisar mudar na equipe em busca da fuga do rebaixamento, Adilson Batista foi claro: tem que trabalhar com intensidade. “Eu preciso colocar os melhores. O futebol pede isso. A gente assiste toda hora à Premier League, adora a Premier League, então a gente tem que jogar igual na Premier League. E quem jogou assim foi o Flamengo, com intensidade”, completou.

Mais matérias desta edição