Maceió,
Nº 0
FATOS & NOTÍCIAS

Confira os destaques da política alagoana #FN30112019

.

Por FATOS & NOTÍCIAS | Edição do dia 30/11/2019

Matéria atualizada em 29/11/2019 às 21h14

As constantes denúncias que têm sido feitas contra o governo de Renan Filho, que culminou com várias operações policiais na Lava Jato e sua investigação por recebimento de propinas durante a campanha de 2014, têm afastado do seu entorno os pretensos candidatos à prefeitura de Maceió.

Uma provável contaminação política é o receio da maioria dos que gostariam de ter apoio do governo, uma realidade que já preocupa tanto o MDB como os partidos que fazem parte da sua aliança, como é o caso do PT.

Um dos prováveis candidatos que já pensa duas vezes para uma aproximação é o próprio procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça, que tem o interesse de disputar a prefeitura de Maceió. Ter seu nome vinculado à família Calheiros, especialmente ao governador Renan Filho, investigado por recebimento de propina na eleição de 2014, não é interessante para Gaspar. Afinal de contas, sua atuação no combate ao crime organizado não permite que ele se alie justamente com quem está sendo investigado pela Operação Lava Jato por determinação do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal.


DESCARTANDO

Ao declarar que gostaria de apoiar Alfredo Gaspar para disputar a Prefeitura de Maceió, o governador praticamente descarta as pessoas que ainda têm muita influência política na capital, como é o caso do secretário de Infraestrutura, Maurício Quintella, ex-ministro dos Transportes.


ALTERNATIVA

Quem anda próximo do governador Renan Filho acha que ele tem uma carta na manga para lançar candidato a prefeito de Maceió, caso Alfredo Gaspar não tope a parada. Trata-se de um sobrenome famoso com grande trânsito no Palácio República dos Palmares.


CADÊ O RATO?

Parece piada, mas a Secretaria de Ressocialização estava mais preocupada no início da semana em abrir procedimento investigativo para saber de onde veio o rato que morreu sobre os pães destinados ao café dos presidiários e dos agentes penitenciários. Ninguém deve ter alertado ao secretário que ali tem esgotos estourados próximos à manipulação dos alimentos e que as condições sanitárias do presídio onde aconteceu o episódio são péssimas.


OUTROS RATOS

Nos corredores de algumas secretarias, inclusive da Educação, a preocupação não são apenas os ratos que apareceram nos presídios em Maceió. São os gabirus de dois pés que estão sendo perseguidos pela Polícia Federal e que já causaram prejuízos de mais de R$ 29 milhões aos cofres do Estado.


ROSÁRIO DE CRIMES

Não é só a investigação da Polícia Federal que pesa sobre o governador Renan Filho. Várias outras, em curso contra o seu governo, complicam sua situação política, tanto para o próximo ano, quando apoiará prefeitos e vereadores, como para sua pretensão em 2022.


SEM CANDIDATO

Muito embora o prefeito Rui Palmeira tenha enumerado nomes de sua preferência para disputar sua vaga nas eleições de 2020, a situação é muito mais complicada do que pode parecer. Afinal de contas, nos partidos aliados existem muitos candidatos com grandes chances de ganhar a eleição.


PÉ ATRÁS

Entre os figurantes nominados pelo prefeito, surge o da deputada federal Tereza Nelma, mas existem dois problemas para ser o candidato preferido de Rui Palmeira: a saúde delicada que vem enfrentando com muita coragem e o próprio relacionamento político com o prefeito, que não é dos melhores.


» O ex-deputado Cícero Almeida saiu da rota de prioridades do “Pequeno Polegar” para as eleições do próximo ano. » A turma da cozinha do Palácio República dos Palmares pode ser defenestrada a qualquer momento pelo governador Renan Filho. O “chefe” não anda nada satisfeito com os resultados de algumas secretarias. » Para alguns integrantes da cúpula do PDT, o “Menudo”, que tem dado as cartas nas viagens internacionais do seleto grupo do Palácio República dos Palmares, tem a força do Tribunal de Contas do Estado. » Carta fora do baralho para as eleições majoritárias do próximo ano em Maceió, o “Menudo” insiste que é o nome ideal para disputar a vaga de Rui.

Mais matérias desta edição