Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Maré

BORDANDO MUDANÇAS

Projeto ‘Renda-se’ realiza desfile de moda e exposição com peças inspiradas no filé e promete impulsionar indústria criativa em Alagoas

Por MAYLSON HONORATO | Edição do dia 05/09/2020

Matéria atualizada em 02/09/2020 às 22h06

É uma rede feita de linha que dá suporte aos bordados coloridos que chamamos de filé. Foi esse patrimônio alagoano que inspirou mais um projeto da arquiteta e produtora Mirna Porto Maia — o Renda-se — que quer ser o suporte para que se “borde” uma indústria criativa ainda mais potente em Alagoas. O público poderá conferir o resultado da iniciativa a partir do dia 24 de setembro, quando será aberta a 1ª Mostra de Moda Alagoana, que inclui um grande desfile e uma exposição das peças criadas em parceria com rendeiras de Alagoas. O filé garante a sustentabilidade de centenas de famílias, além de imprimir formas e cores no imaginário visual do estado. O Renda-se coloca a tradição popular como protagonista de um processo criativo que reúne designers consagrados, como Alina Amaral, e estudantes de moda da Escola Técnica de Artes da Universidade Federal de Alagoas (ETA-Ufal). Após um processo de seleção, cinco estudantes e cinco profissionais (foto) foram desafiados a criar peças inspiradas no bordado alagoano. De acordo com a idealizadora, a primeira edição do projeto expõe, além do potencial criativo dos alagoanos, a necessidade de se pensar a moda e o design como instrumentos de valorização cultural e social. A iniciativa ocorre por meio da Lei de Incentivo à Cultura, com o patrocínio da Magazine Luiza. “A ideia é colocar o design junto do artesanato, um aprendendo com o outro. O que os designers estão aprendendo com as rendeiras do Inbordal e o que as rendeiras estão aprendendo com os designers é uma coisa linda. E essa troca é o que eu esperava quando a gente idealizou esse projeto”, conta Mirna Porto. Até o momento, o Renda-se emprega 280 pessoas, entre estilistas, auxiliares, maquiadores, modelos, equipe de apoio e equipes de filmagem e fotografia. Para Mirna, isso também exibe o quanto as leis de incentivo são importantes. “Através dessas leis de incentivo, a gente tem conseguido fazer coisas muito bonitas. A gente faz uma distribuição de renda que as pessoas nem acreditam. No último projeto que fizemos, o Natal na Avenida da Paz, fizemos pagamentos a 423 pessoas. É um dinheiro que volta para a população”, pontua. Alina Amaral, uma das designers que participam do projeto, diz que o Renda-se também representa um momento de consolidação da produção de moda de Alagoas. O desfile contará com 50 modelos e será transmitido pela internet e pela TV Mar. A exposição ocupará por 30 dias uma área do Maceió Shopping. “Como uma comunicadora que esteve no jornalismo de moda por 12 anos, posso falar que este projeto é o primeiro e efetivo momento de sedimentação da criação alagoana. Evidente que outros momentos houveram, mas, o Renda-se reúne todas as pontas para um processo fortalecido. Estou feliz de estar hoje como criadora, neste ambiente.” O projeto dá continuidade às ações fomentadas pelo Magazine Luiza, que desde 2018 viabiliza projetos culturais em Alagoas. Responsável pela área de patrocínios da gigante varejista, Fábio Costa explica que o Renda-se está intimamente ligado ao compromisso social da Magazine Luiza, além de fomentar algo que está crescendo mundialmente: a demanda por uma moda mais consciente e com significado profundo. “Renda-se dá protagonismo ao trabalho manual e à sua relevância para a cultura alagoana. Fatores como o empoderamento das mulheres rendeiras, a busca por dinâmicas de produção sustentáveis e o crescente interesse pela moda consciente têm ajudado a conduzir a renda pela costura nordestina enquanto o preciosismo das roupas feitas à mão ganha espaço internacional”, diz o gestor. “Isso significa promover benefícios sociais cada vez mais significativos e duradouros nas localidades de atuação do Magazine Luiza, gerando um ambiente propício para a valorização da cultura alagoana. Ter em nosso portfólio a representatividade da cultura alagoana nos dá muito orgulho”, conclui Fábio Costa. DETALHES DO QUE VEM POR AÍ Na contagem regressiva para exibir o que estão produzindo no projeto, os estilistas profissionais Alina Amaral, Augusto Christoff, Chiquinho Almeida, Júlia Calheiros e Nilda Rosa; e os estudantes Dely Teodoro, Fênix Zion, Raianny Yulle, Sabrina Sena e Perigou já conheceram os modelos que vestirão suas peças. Cada um dos designers criou cinco peças inspiradas no filé e que seguem temas pré-definidos pela curadoria: tapete vermelho, moda vintage, moda vernissage, moda náutica e pós-pandemia. Nessa última categoria, os estilistas devem imaginar como será a moda do “novo normal” e como o período de isolamento tem impactado a forma de vestir. Para a professora Pollyanna Isbelo, do curso de Produção de moda da ETA-Ufal, o projeto possibilitou aos estudantes atuarem como profissionais na etapa final do curso e destacou a potência do filé enquanto matéria-prima. Ela assina a direção de arte do desfile e da exposição que integram a 1ª Mostra de Moda Alagoana. “A criatividade e a inovação em design, o trabalho autoral unido ao fazer tradicional garantem originalidade e autenticidade que podem ser um caminho para que o mercado da moda alagoana reflita a sua expressividade na moda”, evidencia. Após o grande desfile, a exposição no Maceió Shopping levará ao público do centro de compras a atmosfera do evento e dos locais onde frequentemente o filé é produzido. De acordo com a produção, um telão mostrará os melhores momentos do desfile, enquanto o público passeia em uma passarela que lembra a beira de uma lagoa. Para David Farias, diretor da Escola Técnica de Artes da Ufal e que assina a direção cênica dos eventos, diz que mesmo com a versão adaptada ao momento de pandemia, o Renda-se é um grande chamado para que a indústria criativa de Alagoas mostre seu potencial. Ele também comemora a parceria do projeto com a instituição pública. “Este projeto faz com que os croquis de moda saiam do papel, tornem-se peças de vestuário e desfilem numa passarela de mais de vinte metros, com cenografia, iluminação, trilha sonora vinda de uma pesquisa musical, tudo isso oferta a criação desses/as discentes e dos/as profissionais de moda selecionados/as, o status quo de obra de arte”, diz.


PROJETO RENDA-SE 1ª MOSTRA DE MODA ALAGOANA Desfile Quando: dia 24 de setembro Onde: Espaço Armazém - com transmissão ao vivo pelo YouTube, TV Mar, Gazetaweb e CSY Exposição das coleções no Maceió Shopping Quando: Após o desfile e com duração de 1 mês Informações: www.projetorendase.com.br e Instagram: @rendasealagoas

Mais matérias desta edição