Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Maré

CORES PARA O NOVO ANO

Pantone anuncia amarelo e cinza como cores de 2021 e diz que escolha se conecta com o mundo pós-pandemia

Por MAYLSON HONORATO | Edição do dia 12/12/2020

Matéria atualizada em 09/12/2020 às 21h57

Com um ano tão complexo e ainda incompreendido como 2020, muitas pessoas só conseguem pensar em 2021 como um ano de renovação. No entanto, outro sentimento será necessário para continuar a enfrentar a pandemia mais devastadora da nossa época: força. Pensando nisso, a Pantone anunciou dois tons como as cores do ano que se aproxima: o cinza (Ultimate Gray) e o amarelo (Illuminating). Aparentemente opostas, as cores foram escolhidas intencionalmente para refletir a necessidade de um equilíbrio entre força e otimismo. É a segunda vez, nos últimos 22 anos, que a Pantone escolhe duas cores como cores do ano. A rigorosa seleção é uma das mais observadas pelos mercados e é capaz de influenciar comportamentos e decisões de consumo. No entanto - pelo fato de as cores representarem algo tão emblemático - a escolha acaba ganhando significados ainda mais profundos. Também é a primeira vez que um cinza aparece como cor do ano e apenas a segunda vez na história que um tom de amarelo conquista o posto. De acordo com o anúncio da empresa, as duas cores escolhidas para 2021 são independentes e se destacam como dois elementos que se unem para se apoiarem. “Se unem para expressar uma mensagem de força e esperança. Uma mensagem duradoura e edificante, que transmite a ideia de que não se trata apenas de uma cor ou de uma pessoa, mas de mais de uma”, refletiu Leatrice Eiseman, diretora executiva do Pantone Color Institute, em comunicado à imprensa. De acordo com a empresa, as nuances do amarelo e do cinza evocam resiliência e positividade para o próximo ano e representam uma escolha importante após um ano caótico. A seleção do cinza se deu após estudos da Pantone apontarem que a cor já é considerada um neutro popular, presente em muitos apartamentos e casas. “Ultimate Gray é aquela sensação de força, algo que é duradouro, sólido como uma rocha, resiliente, atencioso”, disse Eiseman. Já a amarelo illuminating é uma cor vibrante, descrita pela diretora executiva como uma cor de energia solar, que traz alegria, positividade e gratidão. “Sentimentos importantes para um tempo de inovação, sendo que a própria cor é inovadora de si mesma”. “Prática e sólida como uma rocha, mas ao mesmo tempo calorosa e otimista, esta é uma combinação de cores que nos dá resiliência e esperança. Precisamos nos sentir encorajados e elevados, isso é essencial para o espírito humano”, completou Leatrice Eiseman. Em anúncio oficial, a Pantone informou que as as cores escolhidas representam a aspiração da grande maioria dos humanos para 2021: dias de estabilidade e perspectiva, após a pandemia do novo coronavírus. “Nenhuma cor sozinha conseguiu entender o significado do momento”, disse Laurie Pressman, vice-presidente do Pantone Color Institute, ao The New York Times. “Todos nós percebemos que não podemos fazer isso sozinhos. Todos nós temos uma compreensão mais profunda de como precisamos uns dos outros, de apoio emocional e esperança”.

COLOR OF THE YEAR A aguardada escolha da cor do ano pela Pantone está no centro das atenções há mais de 20 anos. A cor do ano influencia o desenvolvimento de produtos, decisões de vários setores, incluindo moda, decoração e design industrial, além de embalagens e produtos. O processo de seleção dessa cor requer uma análise minuciosa das tendências. Para chegar na definição, especialistas em cores vasculham o mundo em busca de aspectos que possam influenciar ou sofrer influência de cores. Isso pode incluir a indústria cinematográfica, entretenimento, coleções de arte, moda, todas as áreas do design, destinos populares de viagens, bem como estilos de vida e condições sociais e econômicas. Novas tecnologias, mídias sociais, texturas, efeitos, filtros, eventos esportivos, tudo isso é considerado na hora de escolher a cor do próximo ano.

Foto: Annie Spratt/Unsplash
 



Mais matérias desta edição