Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
MARÉ

Dando um jeito nessa tristeza

Psicólogos recomendam atividades e maneiras de lidar com o sentimento, mas sem negá-los

Por EVERTON LESSA - ESPECIAL PARA A REVISTA MARÉ | Edição do dia 10/07/2021

Matéria atualizada em 09/07/2021 às 19h17

O cenário paradisíaco do estado de Alagoas encanta turistas e nos faz um dos destinos mais procurados. O sonho de morar num lugar tão bonito é citado pela maioria dos turistas que nos visitam. Mas, tudo indica que a realidade para a população não é o sonho que muitos imaginam. Segundo dados divulgados pelo pesquisador Daniel Duque, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), Alagoas desponta como o segundo estado com pessoas mais infelizes.

A Revista Maré conversou com o psicólogo Carlos Gonçalves, que explicou como lidar com o sentimento de tristeza. “Estamos vivendo um momento atípico, devido a pandemia, então tudo isso mexe com os nossos sentimentos. Muitas pessoas perderam seus empregos, famílias estão tendo sua base familiar alterada, então, esses fatores são agregadores da tristeza. Cada pessoa tem uma forma de lidar com as situações”, conta.

O profissional pontua que a tristeza é potencializada pelas frustrações que vivenciamos no dia a dia. Ele faz um alerta: “A tristeza, caso agravada, principalmente no aspecto econômico, pode até se transformar em uma depressão e levar o indivíduo ao suícidio”. Para Carlos, o sinal de alerta para o agravamento da tristeza é quando o indivíduo começa a se isolar. “Quando percebemos que o outro perdeu a alegria em viver, que vai se afastando do convívio social e vivendo apenas aquela tristeza. É necessário uma rede de apoio, para que a pessoa possa ter ânimo de superar aquele sentimento”, recomenda.

Já o psicólogo Frederico Porto afirma que é necessário reconhecermos que a tristeza é uma emoção natural humana. “Se essa emoção está aparecendo é importante você olhar para você com maior cuidado para entender o motivo que essa emoção está aparecendo”, diz. Para superar esse sentimento de tristeza, Frederico recomenda praticar exercícios que te proporcionem prazer. “Buscar ligar para um amigo na videochamada, uma atividade física, buscar atividades que gosta de fazer, mas que devido à pandemia precisa fazer algumas alterações”. Para ele, o mais importante é se conectar com pessoas do seu convívio para compartilhar os sentimentos e ficar atento caso essa tristeza venha a se agravar. Uma das principais recomendações dos profissionais é que em momentos de tristeza o indivíduo tenha contato com a natureza. Por isso, montamos uma lista com atividades ao ar livre para fazer sozinho ou em grupo para espantar a tristeza e abraçar a natureza do nosso estado.

Caminhar na orla - Nossa orla é considerada uma das mais bonitas do Brasil, então, uma caminhada matinal admirando o mar pode ser ideal.

Banho de Cachoeira - Nossas belezas vão além do mar. Reúne os amigos e/ou a família e faça uma trilha até uma cachoeira, aproveite o banho gelado e desfrute do lugar.

Pedalar - Além do espaço para ciclistas na orla, contamos com o Corredor Vera Arruda, o Parque Municipal e outras opções para quem curte pedalar e admirar a natureza.

Meditar - Busque um espaço silencioso na sua casa ou em um espaço público e se conecte com seus pensamentos. Escolha uma música agradável, coloque os fones e se permita reconhecer a sua respiração e deixe os pensamentos fluírem. Se você nunca meditou, existem áudios em plataformas que te ajudam.

Pôr do sol - Água de coco na mão, uma posição confortável e o mais importante para este momento: máscara. Escolha um dos pontos da nossa orla e desfrute do entardecer vendo o encontro do sol com o mar.

Mais matérias desta edição