Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Maré

SEM MEDO DE PLANEJAR

Com o mercado instável, especialista explica como agir em caso de desemprego e ensina a se preparar para uma eventual necessidade de apertar os cintos

Por DA EDITORIA DA REVISTA MARÉ | Edição do dia 11/09/2021

Matéria atualizada em 08/09/2021 às 22h08

Manter as contas em dia em meio à alta da luz elétrica, da gasolina, do gás de cozinha e até dos alimentos básicos é um verdadeiro malabarismo à brasileira. Imagine como isso se torna ainda mais desafiador quando não existe um planejamento, por mais simples que seja, ou uma reserva de emergência para o caso de perder o emprego de repente.

Alagoas tem a quarta maior taxa de desocupação do país, 18.8%, de acordo com a última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada no final de agosto pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Isso quer dizer que 1 a cada cinco alagoanos com idade para trabalhar está desempregado. No Brasil, são 14,4 milhões de brasileiros.

Os dados relacionados à crise fazem com que o desemprego volte a ser um dos maiores medos dos trabalhadores brasileiros. Isso torna imprescindível saber como agir financeiramente caso esse problema o atinja.

Juliana Alves, 26, aprendeu da forma mais traumática sobre a importância de estar preparada para situações assim. Em uma sexta-feira de agosto, ela chegou na loja onde trabalhava como vendedora e, depois do expediente, descobriu que não precisava voltar na segunda. “Eu não esperava de jeito nenhum. Sempre fui bem avaliada pelo meu trabalho, foi algo muito de repente e que me pegou em um momento em que eu estava justamente me organizando pra me organizar, sem reserva nenhuma”, relata a jovem.

Um primeiro alerta: “Nessa hora, é preciso estar centrado, por mais que possa parecer impossível. Sempre afirmo que é com os tombos que aprendemos a andar; assim, é hora de buscar uma reestruturação financeira, para atravessar esse período e, posteriormente, estar prevenido para imprevisto”, afirma o educador financeiro Reinaldo Domingos. Ele elencou orientações e dicas para quem quer se organizar ou precisa lidar com o desemprego sem uma reserva robusta. Confira!


Pagar dívidas imediatamente?

Caso perca o emprego, qual deve ser a primeira ação? Se estiver endividado, por mais que pareça correto querer quitá-las com o dinheiro do fundo de garantia, isso pode ser um erro, pois, se usar muito deste dinheiro, estará sob o risco de ficar sem receitas para cobrir gastos à frente. Então, planeje-se melhor em relação a esses valores antes de qualquer medida.


Crie uma reserva estratégica

O desempregado tem que ter dinheiro guardado, para as despesas, mas, eventualmente, para investir também em um curso e retomar a carreira. A primeira medida a ser tomada é reter os valores ganhos de fundo de garantia, seguro-desemprego e férias vencidas. Esse dinheiro só deverá ser mexido após ser estabelecida uma estratégia.


Analise sua realidade

É fundamental que tenha total domínio de seus números nesse momento, portanto, se deve saber o valor que possui guardado e somar com o que será ganho. Também deverá fazer um levantamento de todos os gastos mensais, minuciosamente, desde cafezinho até parcela da casa própria, nada deve passar despercebido. Em caso de dívidas e parcelamentos, esses devem ser também somados.


Faça uma faxina financeira

O que realmente é prioridade para a sua vida? Pense muito bem nessa questão, pois chegou a hora de cortar muitos gastos que não agregam à vida. Gastos que devem ser repensados pode ser de TV a cabo, celulares e smartphones, balada e ida a restaurantes, água e energia e outros pequenos gastos. Priorize o que é realmente fundamental nesse período.


Mude seu padrão de vida

Sei que pode parecer difícil, pois já se acostumou com um monte de regalias, mas é hora de reestruturação, e não de manter a pose. Nos momentos de dificuldade, a humildade é um diferencial. Então, o primeiro passo para mudar sua realidade é aceitar que seu padrão de vida mudou, e não viver de aparências.


Fuja dos exploradores

Infelizmente, por mais que seu momento seja de desespero, existem pessoas mal-intencionadas prontas para se aproveitarem dos seus temores. Não permita abusos; muitos tentarão tirar proveito de sua fraqueza para tentar obter vantagens. Evite promessas e garantias descabidas. Às vezes, é melhor estar com o nome sujo do que ser explorado pelas pessoas.


Busque fazer bicos

Por mais que não seja em sua área de atuação, busque fontes alternativas de ganhos. Chegou a hora de deixar o orgulho de lado e buscar garantir um mínimo de renda, por mais que não seja em sua área de atuação.


Levanta e sacode a poeira

Agora é hora de buscar o mais rápido possível a recolocação profissional. Use seu network, se posicione como alguém que está à espera de oportunidades no mercado. Lembre-se, as oportunidades geralmente aparecem para quem está atrás dela. Esqueça o desânimo, levante a cabeça e olhe para o futuro.

Mais matérias desta edição