Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Maré

JARDIM DENTRO DE CASA

De jardins suspensos a hortas, plantas podem tornar ambientes mais relaxantes e ainda realçar decoração; confira dicas para começar sua urban jungle

Por MAYLSON HONORATO - EDITOR | Edição do dia 16/10/2021

Matéria atualizada em 13/10/2021 às 19h54

Por um breve período, a ausência da natureza nos centros urbanos ficou mais do que evidente, não apenas na cidade, mas principalmente nos lares. No entanto, um movimento que já vinha crescendo antes da pandemia, ganhou ainda mais força após o distanciamento social e surge como tendência de decoração: o Urban Jungle. A ideia é resgatar o verde, levando a natureza para dentro das casas. O estilo de decoração possui plantas e detalhes que realçam, além da natureza, o que há de mais rústico nos ambientes internos. Quem trabalha com o assunto defende que a pandemia de Covid-19 fez as pessoas perceberem o quanto a natureza é benéfica no dia a dia e como as plantas e flores podem ajudar a purificar o ar dos ambientes fechados, a tornar os espaços mais alegres e, consequentemente, contribuir para a redução do estresse e evitar a depressão. Basta uma rápida visita aos sites de busca na internet para verificar a quantidade de pesquisas que comprovam os benefícios das plantas e flores em casa, nas empresas e nas escolas. Além dos já citados, podem ser incluídos que elas umidificam o ar, reduzem a ansiedade, ajudam na concentração e a relaxar, estimulam a criatividade e acalmam a visão. O decorador Cristian Piovezan defende que, além de ‘levar a natureza’ até dentro de casa, a tendência se renova como uma proposta divertida e contemporânea de decoração. “Para aqueles que buscam algo mais discreto, podem optar por um jardim vertical na cozinha, hall ou áreas de lazer, com plantas naturais ou até uma mini horta. Já os mais estilosos, podem optar por uma decoração mais ousada, usando grama sintética como painel, podendo ser aplicado para áreas úmidas como ambiente gourmet, banheiro e sacada”, explica. Outra alternativa é incluir o estilo em peças como estampas em tapetes, almofadas, toalhas ou mantas. “Essas peças podem se tornar o destaque de cômodos como sala, hall e cozinha”, sugere. Gilberto Medeiros, especialista em plantas no mercado há mais de dez anos, vai além e diz que a principal dica é amar plantas, porque você vai dedicar tempo a elas. “É necessário atenção. Começar com plantas mais simples, depois escolher outras que exigem um pouco mais de atenção”, diz. Segundo ele, é importante escolher a planta adequada para o local e verificar onde ela vai ficar. “Você tem que fazer com que a planta se adapte ao seu ambiente. Muitas vezes ela sai da loja e dentro da casa ou apartamento ela não se adapta, é necessário que haja um cuidado com essa transição de clima entre os ambientes”, completa. Ele reforça que é importante cuidar da frequência de rega. “A rega é muito importante, muitas vezes a planta morre pelo excesso de água e não pela ausência”. Gilberto reforça que o ideal é olhar o dia a dia da planta, para entender a necessidade de água. “Quando há água em excesso, saindo pelo fundo do vaso, há uma perda de terra e de adubo que pode ser prejudicial para a planta”, conclui. Pedimos para Gilberto citar algumas plantas para ambientes internos e quais os principais cuidados. Confira:

Zamioculca - Ideal para jardineiros iniciantes, pois é uma planta que requer poucos cuidados. As regas devem ser realizadas entre uma ou duas vezes por semana. Mas, o solo precisa estar sempre úmido e nunca encharcado.

Samambaia - Cuidado com o local onde ela vai ficar, pois os ventos e o sol podem ser prejudiciais para as folhas. O ideal é regar todos os dias, mas se não for possível no mínimo três vezes por semana. O solo deve estar sempre úmido para manter suas folhas saudáveis.

Jiboia - A jiboia é ideal para quem busca um jardim no ambiente interno, ela não exige muita rega. Evitar temperaturas baixas e/ou muito altas.

Costela-de-adão - Além de cultivá-la em um vaso, no solo, é possível ter uma costela de adão na água, sendo necessário a poda da raiz e a troca de água do vaso regularmente. Caso entre em contato direto com o sol suas folhas podem ficar amareladas.

Suculentas e cactos - Com aparência mais rústica e ocupando menos espaço, os cactos e as suculentas têm cuidados parecidos. São plantas resistentes e no geral amam o sol. O excesso de água pode matá-las, então é importante entender a necessidade de cada espécie.

Mais matérias desta edição