Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Maré

START NO ESTILO

São Paulo Fashion Week abre primeira edição presencial desde o início da pandemia com desfile inspirado em Free Fire e evidencia invasão dos jogos online na vida real

Por MAYLSON HONORATO EDITOR DA REVISTA MARÉ | Edição do dia 20/11/2021

Matéria atualizada em 17/11/2021 às 21h23

Todos os anos, estilistas e designers se digladiam na tentativa de traduzir nas passarelas os anseios, as subjetividades e as questões atuais. A paisagem urbana, o que está sendo criado e consumido acaba virando adubo para as produções da maior semana de moda do Brasil e uma das maiores do mundo, a São Paulo Fashion Week. A edição deste ano, no entanto, teve uma das produções inspirada em outras paragens. Pela primeira vez, o mundo virtual ganha vida no evento, com um desfile inspirado em Freefire, um dos jogos online mais populares do planeta.

O desfile, totalmente diferente do que já foi visto nas passarelas em todo o mundo, é assinado pelo stylist Daniel Ueda e ocorreu no primeiro dia do evento, na quarta-feira (17). O momento marcou a volta dos desfiles presenciais, após quase dois anos de apresentações exclusivamente online. Na passarela, 20 das skins (trajes dos personagens) mais cobiçadas pelos jogadores do game foram recriados pelo designer.

Muito além de mera inventividade, a iniciativa conecta duas das maiores e mais promissoras atividades do empreendedorismo: Moda, a que mais se reinventa, e Games, a que mais cria e uma das que mais crescem. A adesão aos jogos em rede e em tempo real aumentou 140% durante o ano de 2020, no Brasil.

Atualmente, o País é o terceiro do ranking de audiência em esports, sendo que dois de cada três brasileiros conectados à web são jogadores. É também com base nestes

dados que o Santander enxergou a conexão dos games com o empreendedorismo, uma vez que os jogos são poderosas ferramentas para impulsionar novos talentos e transformá-los, por exemplo, em jogadores profissionais ou desenvolvedores.

Não é só a moda que está de olho nessa ligação cada vez maior dos brasileiros com os jogos eletrônicos. Grandes empresas, de áreas distintas, também. O desfile de Ueda, por exemplo, foi oferecido por um banco, que acabou exibindo o quanto os games - um fenômeno cultural - aparece como uma tendência muito, mas muito real.

“Já somos conhecidos como o Banco que trabalha e apoia a moda, após esses 5 anos de parceria com o SPFW. E neste ano entramos nos esportes eletrônicos com a ambição de ser também o banco que oferece soluções e auxilia as pessoas que trabalham, empreendem e se divertem no mundo gamer”, afirma Igor Puga, diretor de Marca e Marketing do banco em questão.

“O mundo da moda e dos esports é um lugar de muita diversidade, inovação e inquietude. O Santander possui autoridade nestes mercados e entende a real semelhança de valores entre ambos. Esse casamento entre o Free Fire e o SPFW foi o que viabilizou não só a virtualização da moda nos games, mas a materialização física das skins renomadas no jogo mais popular do país, na semana de moda mais importante do Brasil”, conclui.

Os modelos do desfile inusitado foram cuidadosamente escolhidos e contou com modelos e profissionais que também são gamers. A ideia, de acordo com o stylist, era que os envolvidos compreendessem o quanto o momento significa para as novas gerações.

“O meu maior desafio aqui foi tirar o projeto do universo dos games e levar para o da moda. Precisei me inteirar muito do mundo gamer, e para mim está sendo maravilhoso, pois é mais uma porta que se abre, com muita força e energia. Esse processo de criação foi desafiador e incrível ao mesmo tempo”, afirma Ueda, que trabalhou em conjunto com o estilista Alexandre Herchcovitch na criação dos looks.

Juntos, Ueda e Herchovitch buscaram em materiais como malha e moletom, somado a inovações como peles fakes e telas tecnológicas vazadas, dar o tom necessário aos looks. A expectativa é que essas skins, que já causam grande furor no imaginário dos gamers, impressionem ainda mais ao serem vistas por aí.

Para complementar, Daniel Ueda ainda participou da escolha de alguns personagens do Free Fire que foram utilizados nos looks, aplicando já seu olhar de stylist.

“Poder ver a releitura das skins de Free Fire desfilando na passarela do mais prestigiado evento de moda do Brasil, o SPFW, é algo incrível para os jogadores de Free Fire, para mim e para o time da Garena. É um momento de muito orgulho ver o quão longe o Free Fire foi e pode chegar, rompendo a barreira do digital e transcendendo para o real, mostrando que o jogo virou estilo, que o jogo virou moda. “ afirma Fernando Mazza, head de operações da Garena no Brasil.

As populares skins do Free Fire que foram selecionadas para serem apresentadas no desfile inaugural da SPFW N52, uma ação inédita em qualquer semana de moda do mundo são: Sakura; Hip Hop; Kit Angelical; Hypado; Sombra Roxa; Rolezeiro; Gola Alta; T.R.A.P. Zika e Brabo; T.R.A.P. Chavosa e Chavoso; Coração Urbano; Mano Milgrau; Calça Angelical; Gatitude; Loucura Rebelde; e Espírito Púrpura.

“Hoje as fronteiras estão se diluindo, tanto no físico como no digital. O SPFW sempre abriu as portas para o novo. É inevitável o cruzamento da moda com o universo dos games. Ambos exploram e experimentam o novo. Moda tem relação com inovação e comportamento e pessoas. Games tem com tecnologia, comportamento e pessoas. Agora veremos a materialização pioneira do metaverso, das skins, um dos principais pontos dos games”, comenta Paulo Borges, fundador do SPFW.


SOBRE O SPFW

Com 25 anos de história, o São Paulo Fashion Week (SPFW) é a maior plataforma de divulgação de moda, design e criatividade do Hemisfério Sul. Reconhecido pela ONU como um case mundial, o SPFW é um dos mais completos exemplos de como a economia criativa pode ser usada como estratégia de desenvolvimento para a cidade e o país.

O evento cumpre um papel articulador e provocador, transcendendo o mundo da moda e estabelecendo-se como ponto de convergência de diversas redes criativas. Com investimentos que superam 1 bilhão de reais, o SPFW já recebeu mais de 3 milhões de pessoas e a transmissão de seus conteúdos pela TV e Internet alcançou mais de 1 bilhão de pessoas em cerca de 100 países. Mais que evento e mais que moda, o São Paulo Fashion Week é uma experiência relevante, estimulante, inspiradora e transformadora para todos os que se conectam à plataforma.

Mais matérias desta edição