Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Maré

ENTRE O PRAZER IMEDIATO E OS SONHOS

Como lidar com a procrastinação, traçar e atingir as metas no ano novo; confira dicas da terapeuta Erika Thiele

Por MAYLSON HONORATO - EDITOR DA REVISTA MARÉ | Edição do dia 08/01/2022

Matéria atualizada em 05/01/2022 às 21h16

Alvo de brincadeiras e lamentações nas redes sociais, a procrastinação se dá na decisão, consciente ou inconsciente, de empurrar uma atividade para depois e substituí-la pelo ócio, por outra menos importante e mais prazerosa. A verdade é que quem procrastina sabe o que deve fazer, mas não é capaz de fazer. “É uma lacuna entre a intenção e a ação”, define o psicólogo Timothy Pychyl, da Universidade Carleton, dos EUA.

E é a procrastinação a grande inimiga da produtividade e, por consequência, das metas e resoluções que as pessoas comumente fazem neste começo de ano. Quem diz isso é a terapeuta Erika Thiele. Para ela, ter uma vida mais saudável, guardar dinheiro, fazer uma viagem, ler mais livros - não importa a resolução, para cumpri-la é preciso ter disciplina, autoconhecimento e foco.

“É importante escolher uma ou duas, no máximo três. Dessa forma é possível manter um maior foco nos seus objetivos e diminuir a chance de desvios de rota, pois quando fazemos muitos planos podemos não ter energia vital suficiente para nutrir todos e assim estamos fadados a frustrações”, aconselha.

A especialista explica que a procrastinação em si não é uma doença, mas que ela pode ser um indício de algo mais sério, uma evidência de algum transtorno.

Valdice Gomes, de 23 anos, conta que a procrastinação foi a responsável por deixar de cumprir as metas que estabeleceu no ano passado. A estudante universitária queria uma vida mais saudável e usar a manhã para trabalhar. O que aconteceu? Um ano inteiro acordando tarde, demorando para levantar e, para ela, “perdendo manhãs”.

“Mas eu acho que a pessoa só sabe que está procrastinando quando faz já sofrendo com a escolha, mas não consegue deixar de escolher aquilo, entende? Quando você sabe que está perdendo alguma coisa? E pelo quê? Não é fácil reconhecer que você perdeu tempo”, afirma a jovem, que cursa Sistemas de Informação.

Ela conta como era sua rotina e o que pretende fazer este ano: “Eu ia dormir muito tarde, muitas vezes sem fazer nada, apenas navegando nas redes sociais. Mas acho que o que importante mesmo não é o que você faz com o tempo que deixou de investir no que precisava, mas a razão de não fazer aquilo. A terapia está me ajudando muito a entender isso”, relata.

“Para este ano, quero metas mais claras e com as etapas bem definidas. Ainda estou tentando me livrar da procrastinação, mas resolvi me dar o prazo de, ainda esta semana, escrever minhas resoluções”, completa.

Erika Thiele recomenda justamente estabelecer uma data para a concretização de um objetivo e tê-lo escrito em algum lugar, como parte de uma estratégia pessoal. “Pensar em coisas imediatistas pode ser uma grande fonte de frustração. Já quando nos comprometemos com uma transformação por todo um ano temos mais condições de realizações”, diz.

Ter as metas escritas em um lugar de fácil acesso é importante fonte de motivação. “Além disso, é essencial procurarmos ajuda quando necessário, pois frequentemente nossas crenças limitantes impedem a realização do objetivo e, para conhecê-las, precisamos muitas vezes de alguma terapia”, completa.

“A gente procrastina porque estamos viciados no prazer imediato. Acostumamos nossas conexões cerebrais a seguir sempre o mesmo caminho. Para sairmos disso precisamos de autoestima e autoconhecimento, saber os conteúdos do nosso subconsciente que nos seduzem e nos desviam, pois é ele quem nos guia para determinada direção ou escolha”, aponta.


ESCOLHENDO AS METAS

A terapeuta afirma que a escolha das metas deve ser criteriosa. “Precisa ser de coração e realmente fazer sentido para a pessoa, não apenas fazer algo porque outro fará também ou porque te disseram que é o correto. Escolha o que te fará bem e terá um significado para você”.

Para alcançar o objetivo, ensina a terapeuta, a pessoa deve escrever diariamente a meta como se já tivesse sido atingida e falar como se sente diante da conquista para manter as boas energias. “Assim exercitamos o nosso subconsciente para manter-se motivado e continuar seguindo os caminhos mesmo perante as dificuldades. É um exercício de materialização da conquista no campo mental, para buscarmos também no plano físico”, diz. “Aqueles que possuem muitas dificuldades em focar na sua caminhada ou desanimam rapidamente podem buscar ajuda profissional para desenvolver o seu autoconhecimento e autoestima, realizar um equilíbrio energético e conseguir avançar”, conclui a psicóloga.


Dicas

- Estabeleça poucas metas para evitar se desviar dos objetivos

- Escolha uma data para atingir seu objetivo, evite metas imediatistas

- Escreva qual seu objetivo em algum local que você possa consultar sempre e materialize a conquista em sua mente diariamente

- Busque conhecer a si mesmo e aos seus gostos para evitar procrastinação

- Determine objetivos que façam sentido para você, não vá por escolhas ou opiniões dos outros

- Caso tenha dificuldades em focar ou de manter sua autoestima e autoconhecimento, busque a ajuda de um especialista

Mais matérias desta edição