Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Opinião

Estresse e suas implicações na saúde bucal

.

Por Vanessa Reis. cirurgiã-dentista | Edição do dia 16/09/2020

Matéria atualizada em 15/09/2020 às 22h38

Você sabia que nossa saúde física está completamente relacionada com as emoções que vivemos? Aftas, cáries, bruxismo, gengivites, essas e outras desordens bucais e sistêmicas tem afetado um maior número de brasileiros nesse período de pandemia.

Nos últimos meses temos vivido períodos de inquietação, incertezas, medos e instabilidade emocional. E isso afeta diretamente o funcionamento do nosso organismo. Situações de estresse liberam adrenalina e outros hormônios na corrente sanguínea, o que acelera os batimentos cardíacos e causam várias reações em nosso corpo afetando o seu funcionamento como um todo. Esses hormônios quando liberados causam um efeito inflamatório fazendo com que as nossas defesas sejam afetadas. E o que acontece? Ficamos com o corpo suscetível a invasores invisíveis - vírus e bactérias. Além disso, a pessoa estressada normalmente tende a adquirir hábitos nocivos à saúde como consumo de álcool, tabaco, negligência com a saúde bucal o que proporciona surgimento de algumas doenças como: BRUXISMO – hábito de ranger ou apertar os dentes, principalmente durante o sono, e pode causar dor de cabeça, dor e desgaste nos dentes, disfunções na articulação. Nesse caso não há tratamento definitivo, apenas controle dos efeitos prejudiciais do hábito com uso de placa miorrelaxante, medicações relaxantes musculares e/ou aplicação de toxina botulínica pelo cirurgião-dentista. GENGIVITE – Pessoas estressadas normalmente deixam de priorizar a higiene bucal, tornando-se esta deficiente, favorecendo o surgimento de placas bacterianas causando gengivite (inflamação da gengiva) que provocam sangramentos e mau hálito. Além disso, ha um aumento do consumo de cigarro, que pode agravar ainda mais essa situação. PERIODONTITE – Se a gengivite não for tratada pode evoluir para a periodontite, quando a inflamação atinge os tecidos mais profundos que sustentam os dentes, como por exemplo o osso alveolar. Além de aumentar o sangramento e halitose, a doença pode levar à perda dentária. AFTAS – A baixa imunidade e o estresse são fatores que provocam aftas. Essas inflamações são canais abertos para a entrada de vírus e bactérias. BOCA SECA – O estresse provoca diminuição da produção de saliva, o que causa um ressecamento da boca conhecido como xerostomia. Esse pode ser um fator agravante para o surgimento da periodontite e de cáries visto que a saliva tem propriedades de proteção e limpeza da cavidade oral. E como controlar o estresse em meio a tudo isso? Ter boas noites de sono; cuidar da saúde; alimentar-se de forma saudável; fazer atividades físicas (pelos menos 30min diariamente; ter momentos de prazer. Com relação à higiene bucal: - A higiene deve ser feita constantemente (pelo menos 3x ao dia), com escova de cerdas macias e creme dental com flúor, utilização de fio dental e, se houver indicação do cirurgião-dentista, complementar com o uso do enxaguante bucal. - Para evitar o mau hálito, comer mais vegetais e frutas, beber bastante água e não ficar em jejum por um longo período de tempo. - Nunca compartilhar escova de dentes, nem que seja com alguém muito próximo a você, visto que a saliva é um meio de transmissão do Covid-19 e outras doenças. - Guardar a escova em local fechado ou use protetor e estojo de proteção. - Trocar a escova a cada 3 meses. - O excesso de bebidas ácidas, como refrigerantes e energéticos, pode causar o desgaste da camada externa do dente. Dores dentais costumam ser o principal indício do aparecimento de cáries ou outras complicações. Dessa forma, na presença de alguma sensação dolorosa, não hesite em marcar uma consulta com o seu dentista.

Por mais que estejamos passando por uma situação de pandemia em nível mundial, não podemos nos desesperar, mesmo que pareça difícil precisamos ter controle emocional, ocupar nossa mente com pensamentos agradáveis, cuidar do corpo, fazer o bem, e ser otimistas quanto ao futuro. Tudo passa, nenhum mal dura para sempre. Lembre-se: você é o único responsável pelo seu bem estar. Cuide-se.

Mais matérias desta edição