Maceió,
Nº 5692
.

PÁSCOA E ESPERANÇA .

.

Por MILTON HÊNIO - médico e membro do Conselho Estratégico da Organização Arnon de Mello | Edição do dia 30/03/2024

Matéria atualizada em 30/03/2024 às 04h00

Há mais de 2000 anos, um homem jovem caminhava pelo Oriente com a intenção de distribuir amor, compreensão e paz entre os homens. Jerusalém era na época uma das maiores e mais importantes cidades do mundo antigo. Era o berço de uma cultura milenar. Um homem se esforçava para incendiar os corações. O entusiasmo do povo pelos seus milagres e suas palavras foi tamanho, que sua presença passou a incomodar aos poderosos da época. O mesmo povo que o festejou no Domingo de Ramos, o condenou sem justificativa. Até hoje muitos não o conhecem nem entendem o seu sacrifício pela felicidade da humanidade. Conseguia dizer o que pensava, mesmo sabendo que estava colocando sua vida em risco. Em suas pregações de cidade em cidade, demonstrava que o importante não era a doença do doente, mas o doente da doença. Ainda hoje, apesar de tantos anos passados, isso é uma verdade. O importante não era o quanto as pessoas estavam doentes, o quanto eram em estar deprimidas por fatores diversos, mas o quanto elas sofrem em seus interiores. Cada vez que Jesus abria a boca e pregava o amor, a paz perturbava a cúpula judaica. A paz tão ansiosamente esperada na região onde Cristo tanto caminhou pregando o amor está se tornando cada vez mais distante, pelo ódio aprendido e estimulado entre Palestinos e Judeus, por uma luta milenar relacionada com o uso das terras e sua origem.

Procuramos exaustivamente a paz. A humanidade, em sua maioria, anseia por ela. Será possível encontrá-la? Sim, porém, se de forma equilibrada e duradoura, a luz do Evangelho brilhar nos horizontes, nos corações dos seres humanos. Queremos cantar o Salmo da Libertação, um hino de amor, de justiça e de fraternidade sobre os escombros das guerras, da fome e da destruição. Guia nossos passos, Senhor, ilumina nossos projetos pois és o Caminho, a Luz e a Vida.

A vida está, caro leitor, a sua disposição. Os dias que correm no mundo de hoje são cheios de obstáculos a vencer: renda familiar baixa, problemas com os filhos, saúde debilitada, enfim uma série de fatores que fazem o indivíduo ficar estressado. Porém, nunca devemos perder a esperança por dias melhores. Que você seja sempre feliz realizando os sonhos e os projetos que o Cristo programou para você. Feliz Páscoa é o que desejo a todos os alagoanos. Que vivam sempre cheios de esperança pelo dia de amanhã.

Mais matérias desta edição