Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Política

OUTDOORS ‘CONTRA A ESQUERDA’ IRRITAM CANDIDATOS

.

Por Marcos Rodrigues | Edição do dia 16/10/2020

Matéria atualizada em 15/10/2020 às 21h46

Três dos cinco candidatos de esquerda a prefeito de Maceió reagiram a mensagens em outdoors espalhados pela cidade com menções a supostas pautas atribuídas aos partidos com tendências socialistas. Ricardo Barbosa (PT) e Valéria Correia (PSOL) contestaram as informações, tratadas como fake news e com conteúdo de ódio. Ambos denunciaram o caso na Justiça Eleitoral pedindo a retirada e a responsabilização para grupos apontados como de direita e simpatizantes do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A candidata Lenilda Luna (UP) classificou a mídia como um ato de medo, já que as candidaturas esquerdistas têm agregado mais votos que as de extrema direita.

O primeiro a recorrer à Justiça, na quarta-feira, foi o petista Ricardo Barbosa. Conforme revelou, o ato de provocação visa confundir a opinião pública e ao mesmo tempo sustentar politicamente o governo federal. "Fui à Justiça porque sou esquerda, defendo a esquerda e tenho orgulho de ser esquerda. Essas mentes são as mesmas que estiveram e estão por trás da eleição de um presidente responsável por mais de 150 mil mortes pelo descaso com a pandemia e eleito a base de fake news. É um pessoal que não gosta de democracia", declarou Barbosa.Conforme revelou, na mesma ação em que pede a imediata retirada, também solicitou que a Justiça Eleitoral aplique uma multa de R$ 15 mil por cada outdoor a empresa Lux, responsável pela afixação das peças na cidade. MentirasEm alguns outdoors, as mensagens afirmam que a esquerda é "contra a vida, favorável ao aborto, defensora das drogas, educação de gênero e a sexualização". Ao mesmo tempo pedem que os "cidadãos de bem" não votem nos candidatos que representam esse pensamento na eleição municipal.Como nenhum destes temas faz parte do programa defendido nas eleições municipais, mas sim em discussões nacionais, os candidatos estão tratando o tema como sendo mentiras para atrapalhar e confundir o processo eleitoral.Na tarde de ontem, a candidata Valéria Correia também foi ao Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL) fazer a mesma solicitação de retirada das mensagens publicitárias. Diante do prédio do órgão, ela gravou um vídeo onde explica que sua posição é em defesa das esquerdas, mas também contra aos princípios da educação.“É um absurdo um ato como esse, em plena campanha eleitoral. São mentiras implantadas contra aqueles que se opõem ao autoritarismo e ações insensatas. Os ataques da direita aconteceram, ainda, quando eu era reitora da Ufal. Se opunham à educação, ofendiam professores e tentavam desmerecer a ciência. Condutas como essas são inaceitáveis. Meu compromisso sempre foi com a verdade. Por isso, tinha obrigação de denunciar”, esclareceu Valéria.O advogado da legenda revelou na ação que os outdoors desrespeitam a legislação vigente, inclusive quanto aos critérios de divulgação em período eleitoral. Efetivamente, o recurso judicial não atinge diretamente nenhuma candidatura de direita. Nenhum candidato defensor da ideologia assumiu envolvimento com a divulgação."A referida opinião política espalhada pelo Município de Maceió configura várias modalidades de delitos penais, crimes eleitorais e cíveis, cujo objetivo é espalhar a sensação de insegurança e medo ao eleitor, visando, ainda, artificialmente afetar os estados mentais, emocionais e psicológicos nos eleitores a fim de influenciar as pessoas, na opinião pública, embasado de forma crítica estados mentais, emocionais e psicológicos para influenciar e embaraçar a forma de crítica às candidaturas dos candidatos de política de esquerda no Município de Maceió”, destaca um trecho da ação.

Mais matérias desta edição