Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 0
Política

MINISTÉRIO DA SAÚDE RETIRA APLICATIVO DO AR

.

Por NATÁLIA CANCIAN - FOLHAPRESS | Edição do dia 22/01/2021

Matéria atualizada em 21/01/2021 às 21h32

Brasília, DF - O Ministério da Saúde retirou do ar nesta quinta-feira (21) um aplicativo indicado a profissionais de saúde e que recomendava remédios sem eficácia contra a Covid, como a cloroquina. A justificativa da pasta para a retirada é que o sistema havia sido ativado “indevidamente”. A partir do preenchimento de um formulário eletrônico com os sintomas do paciente, o aplicativo TrateCOV sugeria a prescrição de medicamentos como hidroxicloroquina, cloroquina, ivermectina, azitromicina e doxiciclina em qualquer idade, inclusive para bebês, e em situações diversas, não só para Covid-19. Estudos, no entanto, já descartaram que o remédio tenha eficácia contra a doença. A medida gerou reação de entidades médicas, inclusive de algumas que até então vinham adotando posições mais alinhadas ao governo ou evitando manifestações sobre o tema. Em nota divulgada nesta quarta (21), o Conselho Federal de Medicina disse que alertou ao Ministério da Saúde sobre “inconsistências” na ferramenta e pediu que fosse retirada do ar. A posição ocorreu após análise feita por conselheiros e assessores técnicos e jurídicos. No último ano, o conselho emitiu um parecer que autorizava a prescrição de cloroquina em alguns casos, embora citasse não haver comprovação de eficácia. Já nesta quarta, o conselho afirma na nota que o TrateCov “assegura a validação científica a drogas que não contam com esse reconhecimento internacional”. Aponta ainda outras inconsistências, como não preservar o sigilo de informações, permitir o preenchimento por profissionais não médicos e induzir à automedicação e à “interferência na autonomia dos médicos”. A plataforma já não podia mais ser acessada nesta quinta. No lugar do endereço original, aparece a mensagem de que o formulário já não está mais ativo.

Mais matérias desta edição