Gazeta de Alagoas
Pesquise na Gazeta
Maceió,
Nº 4227
Rural

GRÃOS: PRODUTORES DE AL ABREM PORTAS PARA NOVOS MERCADOS

Com desoneração e redução da carga tributária em 2% na venda dos grãos para dentro e fora do Estado, produtores apostam em crescimento do segmento de grãos com o aumento da oferta de geração de emprego e renda

Por Editoria do Gazeta Rural | Edição do dia 09/11/2019

Matéria atualizada em 08/11/2019 às 23h39

Com a previsão de que a safra de grãos 19/20 em Alagoas atinja a marca recorde de 5,7 mil toneladas, um dos principais entraves que segurava a produção no Estado - as barreiras de comercialização - foi sanado com a publicação de um decreto que desonerou e reduziu a carga tributária em 2% na venda dos grãos para dentro e fora do Estado.

Com a alteração tributária, que foi um pleito dos produtores rurais do segmento de grãos, fica concedido crédito presumido do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) nas operações internas e interestaduais do milho, milheto, soja e sorgo, feitas por produtores estabelecidos no Estado. O decreto entrou em vigor desde o dia 1º de novembro.

 

Milho teve produção acima de média por hectare, superando as expectativas dos produtores
Milho teve produção acima de média por hectare, superando as expectativas dos produtores - Foto: Divulgação
 

Áreas de teste mostram o desempenho das 
culturas de grãos 
no Estado
Áreas de teste mostram o desempenho das culturas de grãos no Estado - Foto: Divulgação
 

A medida, que retira tributos da produção de grãos no Estado, cria alternativas para que o agronegócio possa ocupar áreas antes usadas na cultura da cana, gerando um aumento da área plantada e de produção, além de gerar novas oportunidades de emprego. Medida semelhante foi aplicada a outros segmentos da agropecuária alagoana, beneficiando a cadeia produtiva do frango, coco, leite e da carne, por exemplo.

“O mercado de Alagoas não absorve toda a nossa produção. Apesar de pequena, tínhamos muita dificuldade na comercialização, principalmente neste período de novembro até janeiro. Esse decreto abre mercados, a exemplo de Pernambuco que é o maior consumidor do Nordeste. Temos como chegar com preço competitivo. Antes, a gente pagava 12% de ICMS e nosso milho chegava em Pernambuco R$ 5 mais caro. Agora, com a cobrança de 2% vamos ter um preço realmente competitivo“,  afirmou José Almeida, produtor rural sergipano que há três anos investe na produção de grãos em Alagoas.

De acordo com o proprietário do Grupo Santana e produtor de grãos, Ivanilson Araújo, o decreto atendeu a um pleito do setor, promovendo segurança comercial. “Quem produz grão tem que ter a hora certa para vender e nem sempre o mercado consome a nossa produção. A partir de agora vamos ter uma abertura comercial muito grande. Vai possibilitar, também, a vinda de outros produtores aqui para o Estado, porque temos ainda muita terra à disposição para a produção de grãos. A publicação deste decreto foi fruto de uma negociação que perdurou por mais de seis meses. Agora, o produtor de grãos alagoano tem motivo de alegria”, declarou.

Atualmente, Alagoas conta com uma área aproximada de sete mil hectares cultivados de grãos, onde são aplicadas ferramentas da mais alta tecnologia com a finalidade de se produzir cada vez mais e áreas menores. Diante de investimentos crescentes, a cultura se tornou uma das que mais se desenvolve no Estado.

Para o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária no Estado de Alagoas (Faeal), com a mudança na tributação, o segmento de grão tende a aumentar a produção. “Agora, teremos onde negociar o produto. Com este benefício, Alagoas será - em curto espaço de tempo - um dos maiores produtores de grãos, gerando mais oportunidades de emprego e renda. Afinal, o objetivo de quem produz é ter lucro”, afirmou.

 

Ivanilson  Araújo destaca que Alagoas passa a ter potencial para competir com outros mercados
Ivanilson Araújo destaca que Alagoas passa a ter potencial para competir com outros mercados - Foto: Divulgação
 

Técnicas aplicadas em culturas atraiu dezenas de produtores para dia de campo promovido pela Embrapa e Grupo Santana
Técnicas aplicadas em culturas atraiu dezenas de produtores para dia de campo promovido pela Embrapa e Grupo Santana - Foto: Divulgação
 

Dia de campo

Com o propósito de apresentar um balanço da safra de grãos em Alagoas, o Grupo Santana realizou, no município de Anadia, um dia de campo em parceria com a Embrapa e que reuniu produtores rurais, entidades e empresas ligadas ao segmento agropecuário no Estado.

Na área, onde também  é realizado experimentos de culturas, uma dos destaques foi o desenvolvimento do milho cultivado na localidade, que foi superior a registrada no ciclo passado. Numa área de 1.800 hectares, a média geral foi de 105 sacos por hectare, que resulta em aproximadamente 6.300 quilos do grão.

“Mais de 65% da área já colhida. Mas, estamos esperançosos que a média geral final chegue a 6.600 quilos. Ano passado, a produção por hectare foi de apenas 3.500 quilos. A razão do crescimento foi o equilíbrio da janela de plantio e um índice pluviométrico 50% maior que o ocorrido no ano passado que também foi melhor distribuído entre os meses. A cada ano, estamos fazendo os ajustes necessários com a hora certa de plantar. Temos um volume de culturas variado entre milho, soja, algodão, sorgo e feijão”, afirmou Augusto Tanure, produtor rural e parceiro do Grupo Santana.

De acordo com ele, na soja os resultados também foram considerados excelentes com áreas de colheita chegando a 74 sacos por hectare. “O feijão também está muito bom. Era uma coisa que a gente não imaginava com uma média por hectare de 37 sacos. O algodão deve ser colhido a partir de agora de novembro e vamos ter uma boa produtividade, assim como o sorgo. Com todas as culturas devemos ter 70% de satisfação”, reforçou.

Segundo o presidente do Grupo Santana, que disponibiliza para a Embrapa uma área para experimentos e competição de materiais, o dia de campo mostrou o sucesso do cultivo de grãos no Estado. “Estamos aqui em Alagoas fazendo lavoura extensiva. Iniciamos com uma pequena área e começamos explorar os espaços e hoje estamos com 3.200 hectares de agricultura. Acredito que as coisas irão melhorar cada vez mais, ampliando a produtividade. Tivemos, este ano, um inverno generoso, ampliando a nossa performance de plantio”, destacou.  


Soja

Apesar de o milho ter apresentado resultados acima da média em Alagoas, o cultivo da soja tem um crescimento um pouco mais modesto. Segundo o produtor rural Sérgio Papine, que cultiva o grão no litoral norte de Alagoas, a soja tem avanço bem, sendo uma cultura promissora. “Este ano, tivemos um resultado médio de 55 sacos por hectare. Isso leva a um bom retorno para o produtor rural”, afirmou.

Para Papine, a soja tem atraindo a atenção no meio rural com a chegada de produtores até de outros Estados interessados em investir na cultura em Alagoas. “Pouco a pouco tem aumentado. Estamos precisando, na verdade, é de mais terras para arrendar ou até comprar. O grão não é concorrente da cana, ele vem para agregar valor a cana e a terra”, acrescentou.


Seminário Produção de Grãos traz especialistas


Para apresentar as oportunidades de produzir utilizando novas tecnologias com baixo custo e mais conhecimento sobre o segmento, o Seminário Produção de Grãos 2019, será realizado nesta próxima semana, nos dias 12 e 13, a partir das 8h, no auditório da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Alagoas (Faeal), em Maceió. O seminário vai abordar o cultivo e a diversificação de grãos no estado, além de mostrar espaços empresariais para apresentação de produtos e serviços e exposição de empresas do setor.

A programação do seminário, composta por 12 palestras com especialistas de todo o Brasil além de mesas redondas e painéis, trará vários temas estratégicos, entre eles: ‘A implantação do sistema de Plantio Direto em solos de áreas de produção de grãos da Região do SEALBA’; ‘Milho em Alagoas:  oportunidades e desafios’; ‘Estratégias para aumento da eficiência da fixação biológica do nitrogênio em soja, nas áreas de primeiro ano de cultivo’; e ‘Produção de Grãos em Alagoas: Pesquisa e Inovação para Grãos em Alagoas’. Para mais informações, confira a programação completa: https://loja.al.sebrae.com.br/loja/evento/1338808.

Cristina Loureiro, analista da Unidade de Agronegócios do Sebrae em Alagoas, ressaltou a relevância do seminário para fortalecer a produção de grãos no estado e trazer mais conhecimento para os produtores locais. “O evento é importante justamente por abordar o cultivo e a diversificação da cultura de grãos no estado, apresentando empresas que atuam neste segmento, pesquisas de novas variedades, a exemplo do experimento com trigo e novas tecnologias. Essa cultura tem ampliado em nosso estado e representa uma oportunidade de agronegócio, com resultados muito animadores, como será mostrado durante o seminário”, frisou.

Milho teve produção acima de média por hectare, superando as expectativas dos produtores
Áreas de teste mostram o desempenho das 
culturas de grãos 
no Estado
Ivanilson  Araújo destaca que Alagoas passa a ter potencial para competir com outros mercados
Técnicas aplicadas em culturas atraiu dezenas de produtores para dia de campo promovido pela Embrapa e Grupo Santana

Mais matérias desta edição